Feminino: confira como o Vasco chega para o Brasileiro A-2

O técnico Antony Menezes afirmou que a equipe feminina do Vasco ainda não está 100% para a disputa do Brasileiro A-2.

O Vasco estreia no Campeonato Brasileiro Feminino A-2 domingo. O adversário será o Goiás, às 15h, no Estádio Nivaldo Pereira, em Nova Iguaçu. O técnico Antony Menezes, em entrevista ao GloboEsporte.com, explicou que o time ainda não está 100% pronto devido a problemas durante a pré-temporada.

- Para estrear domingo ainda faltam alguns ajustes. Nós tivemos problemas desde a pré-temporada devido ao clima, principalmente, do Rio de Janeiro, onde as chuvas atrapalharam bastante a nossa sequência de treinos. Mas a gente está tentando organizar para chegar de uma maneira bem compacta, pelo menos para a estreia. Eu sei que no decorrer da competição a gente vai evoluir ainda mais - disse o técnico.

No ano passado, a equipe não passou da primeira fase da competição e foi eliminada na semifinal do Carioca, terminando com a melhor defesa da competição. Para esse ano, o maior objetivo é garantir vaga na elite em 2021.

Seis jogadoras chegaram para compor o elenco: Gabriela (goleira), Joseane (lateral-direita), Thaísa (zagueira), Laís (volante), Paulinha (meia) e Lorrany (meia-atacante).

- O objetivo, primeiramente, é estar bem preparado, competir a cada jogo, entrar bem competitivo e aí, a cada jogo, a gente vai buscando as vitórias, porque o que nos interessa é a classificação. Depois, no mata-mata, eu sei que a gente estará em crescimento e vai dar trabalho - destacou Antony

O comandante afirmou que a estrutura segue a mesma do fim de 2019, apesar das saídas de Ronaldinha (para jogar na Austrália) e Rhaizza (para o Real Brasília, adversário do Vasco na primeira fase), que comandavam o ataque no ano passado.

- Nossa equipe, em questão de estrutura, principalmente em relação ao Carioca do ano passado, se manteve. Nosso setor defensivo continua bem estruturado, e eu acho até que melhorou. Nossas peças que chegaram esse ano conseguiram dar consistência na nossa defesa. Nós mudamos um pouco a forma de jogar na parte ofensiva, mas a gente vai criar uma forma para fazer os gols e buscar sempre a vitória - comentou Antony.

Grupo E

O Vasco está no mesmo grupo de Atlético-MG, Botafogo, Goiás, Real Brasília e Vila Nova - todos times do Sudeste e Centro-Oeste. Dessas equipes, a única conhecida é o Botafogo.

O encontro em 2019 foi pela primeira fase do Campeonato Carioca, e o Vasco venceu por 1 a 0. Os dois avançaram às semifinais, mas foram eliminados por Fluminense e Flamengo, respectivamente.

Para a capitã Juliana Pacheco, jogar um clássico é sempre diferente e a rivalidade é um incentivo a mais.

- Tem que estar ligado os 90 minutos porque em um erro você perde o jogo. É sempre bom vencer um clássico. Jogar lá na rede social que ganhou, a zoação sempre tem. Ano passado, a gente ganhou do Botafogo, foi um jogo bom e em um erro delas e a gente matou o jogo. É muito bom jogar um clássico, e a sensação de vencer é melhor ainda - disse Juliana.

Apesar disso, Antony Menezes criticou a fórmula utilizada pela CBF para definir os grupos. Na visão dele, regionalizar os grupos fez com que equipes muito fortes ficassem juntas, desregulando o nível da competição.

- Se uma falhar, tende a não subir. Eu acho que isso não foi uma escolha acertada. Acho que deveriam misturar um pouco mais e tentar selecionar mais. Eu sei que o custo é muito alto, acredito que tenha sido regionalizada por conta disso, mas essa é minha forma de pensar hoje - afirmou Antony.

Estrutura e salários

A equipe feminina do Vasco treina no CT do clube em Duque de Caxias. Algumas atletas menores de idade estudam no Colégio Vasco da Gama e recebem uma bolsa de formação. As outras recebem uma ajuda de custo. Assim como os outros setores do clube, os valores devidos também estão atrasados.

Em questão de estrutura médica e alimentar, as jogadoras recebem o mesmo apoio dos atletas do sub-20 masculino.

Futuro

O Vasco tem uma longa história no feminino. Foi o responsável por revelar jogadoras como Pretinha e dar maior visibilidade ao maior nome do esporte: Marta.

Há quase uma década no clube, Antony Menezes acredita que a Copa do Mundo Feminina de 2019, vencida pelos Estados Unidos, impulsionou a modalidade, mas que ainda há um longo caminho para melhorar.

- Eu acho que a tendência é essa, não tem mais volta. A evolução vai ser a mais rápida possível

Time feminino do Vasco da Gama

Confira os primeiros jogos do Vasco no Campeonato Brasileiro A-2:

Vasco x Goiás - 15/3/2020, às 15h, no Estádio Nivaldo Pereira (RJ)

Vasco x Atlético-MG - 22/3/2020, às 15h, no Estádio Nivaldo Pereira (RJ)

Botafogo x Vasco - 29/3/2020, às 15h, no CEFAT (RJ)

Leia mais sobre: Futebol Feminino

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »