Ex-jogador do Vasco, Pedro Zandonaide disputa Circuito Mundial de tênis

Pedro Zandonaide, campeão carioca pelo Vasco da Gama em 77, falou sobre experiência e disputa do Circuito Mundial de tênis.

O torcedor do Vasco tem boas lembranças do Campeonato Carioca de 1977. Na ocasião, ao bater o Flamengo por 5 a 4 nos pênaltis, a equipe cruzmaltina levantou o troféu da competição e encerrou um fila que já durava sete anos. Em campo naquela decisão, Pedro Zandonaide foi o penúltimo a bater pelo lado vascaíno, antes de Roberto Dinamite encerrar a disputa. Hoje, aos 62, ele experimenta com muito prazer a vida de tenista. O ex-meia disputou a Copa Atakadão Atakarejo, que faz parte do Circuito Mundial Seniors de tênis.

Pedro falou sobre a experiência de disputar o torneio em Salvador, na Bahia, e analisou a experiência de estar competindo em um esporte tão diferente do futebol.

"Eu me identifiquei muito com o esporte. Hoje eu praticamente só jogo tênis. É um tipo de esporte individual. Tem o adversário, mas você tá sozinho. E tomar conta das suas coisas é muito bom", brincou o tenista ao comparar seu atual esporte com o futebol, que é jogado de modo coletivo, emendando na sequência:

"No futebol você depende de você e mais dez, então tem que ser um coletivo forte, né. Tem que ser uma turma empenhada com o objetivo de conquistar alguma coisa, então é mais complicado. Agora o tênis não. É um esporte individual, onde as soluções você tem que tomar sozinho, então é só você e Deus. É bem diferente", confessou.

Deixando o futebol quando ainda tinha apenas 26 anos, Zandonaide falou sobre o início da carreira e as lesões que o levaram a aposentadoria.

"Eu tive minha carreira muito curta. Na época que o Zagallo foi treinador do Vasco, eu tinha uma relação muito boa com ele. Infelizmente eu vim a me acometer a uma lesão no púbis, e fiquei praticamente nove meses parado. Mas foi legal (a carreira). Em 77, eu saindo do júnior. Eu, Tita, aquela turma do Flamengo, Adílio, Andrade", relembrou.

Além de Vasco, Pedro também teve passagens por Bahia, Sporting de Lisboa, em Portugal, Seleção Brasileira Sub 20 e pelo futebol venezuelano, onde pendurou as chuteiras. Ao relembrar a conquista marcante com a equipe carioca, em 1977, ele elogiou o elenco cruzmaltino que tinha como líder Roberto Dinamite.

"Muito Legal, pessoal muito bom. Nós tínhamos um time muito coeso, que buscava a vitórias e tal. Era uma convivência muito legal, a gente tinha muito respeito um pelo outro, então por isso era um equipe que foi pra frente e conquistou muita coisa.”

Ao falar sobre os próximos passos no tênis, Pedro que acabou sentindo a coxa na semifinal do torneio da Bahia, falou sobre como surgiu a ideia de disputar o Circuito Mundial.

"Eu comecei esse ano a disputar o circuito. Através de um m amigo meu de Uberaba ele me incentivou, outra pessoal de Uberlândia me incentivou, ai eu disse, vou tentar disputar isso. Tô correndo o circuito, fui em, Brasília, Rio de Janeiro, Goiânia, e to vindo agora em Salvador", confessando que pretende seguir na disputa assim que se recuperar.

"Mês que vem é São Paulo, e devo ir em Porto Alegre também. São Paulo é no final do mês que vem, e Porto Alegre e no começo de novembro”, encerrando o papo bastante animado, e garantindo que logo estará de volta às quadras, vivendo a sua paixão pelo tênis.

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »