Especialistas opinam sobre possível anulação de Vasco x Inter após vídeo do VAR

Especialistas afirmam que material de áudio e vídeo do VAR não influencia para possível anulação do jogo entre Vasco e Inter.

Lance do gol de Rodrigo Dourado contra o Vasco
Lance do gol de Rodrigo Dourado contra o Vasco (Foto: Reprodução/ge)

Após ter acesso ao conteúdo do VAR (árbitro de vídeo) da partida contra o Internacional, a diretoria vascaína está confiante quanto a seu pedido de impugnação da partida. O clube deverá se manifestar ainda nesta quinta-feira (25) no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para ressaltar que houve “impedimento incontestável” de Rodrigo Dourado no lance que originou o primeiro gol do Colorado e citar o “erro de direito” contra a equipe carioca.

“Áudio e vídeo mostram tamanho do problema. Muito menos pela questão jurídica (para mim, não cabe anulação já que não vejo erro de direito e existe cumprimento do protocolo do VAR) e mais pela parte técnica. Há despreparo, falta de critérios no uso do VAR. Deve ser assim em todos os jogos, o que explica resistência em dar transparência às decisões”, avalia Andrei Kampff, advogado especialista em direito desportivo, jornalista e autor desse blog .

“Pela imagem não é possível afirmar que houve impedimento. No entanto, ainda que o atleta estivesse de fato impedido, isso jamais poderia ser considerado um erro de direito, sendo um mero erro de fato, que não justifica anulação da partida”, afirma o advogado especializado em direito desportivo e colunista do Lei em Campo Vinicius Loureiro.

Fernanda Soares ressalta a gravidade que uma anulação de partida traz para a competição: “continuo entendendo ser erro de fato…a decisão foi do árbitro de campo, ciente da falha do VAR. O protocolo para situações como esta não foi seguido, isso ficou claro. Mas ainda que fosse, a decisão foi do árbitro de campo. Mas ainda que se entenda que foi erro de direito, há de se ponderar muito. Reafirmo que a anulação de uma partida é algo muito grave ao campeonato”, disse a advogada especialista em direito desportivo.

Uma das coisas que chamou a atenção do departamento jurídico do Vasco envolvidos na apuração foi quando, após o quarto minuto do vídeo de 5 minutos e 16 segundos, uma das pessoas que trabalhavam no funcionamento do VAR afirma: “Pode definir”. Isso acontece logo após uma linha vermelha ser traçada sobre o ombro de Dourado, do Internacional, e outra azul no pé de Ricardo Graça, do Vasco.

A empresa responsável pelo VAR, Hawk-Eye, se manifestou sobre o caso no dia 15 de fevereiro. Segundo ela, a “descalibragem” das linhas, que impossibilitou a consulta do lance em questão, aconteceu por conta do “baixo ângulo das câmaras, em conjunto com a sombra se movendo em campo”.

Diferença entre erro de direito e erro de fato

Uma partida é passível de anulação quando o árbitro comete um erro de direito, ou seja, quando é intencional e ele demonstra desconhecimento das regras. À título de exemplo: anular um gol feito diretamente da cobrança de escanteio; permitir que um gol seja marcado, após a cobrança de tiro livre, pelo menos jogador que tocou duas vezes na bola sem que outro jogador, companheiro ou adversário, o faça; validar um gol feito após a cobrança de pênalti, em que a bola bate na trave e volta para o mesmo jogador, que faz o gol.

O erro de fato, cuja partida não é passível de anulação, ocorre quando o árbitro tem uma “falsa” observação visual, o que leva a crer em uma realidade que não é verdadeira. Por exemplo: validar um gol impedido; apitar pênalti por “ter visto”, e não “ter acontecido”, um toque do zagueiro; validar um gol em que a bola corre por toda a linha do gol, não entra, mas o árbitro diz que entrou; dar escanteio quando foi visível que a bola foi tocada por um atacante e não por um zagueiro.

Exemplo típico de erro de fato é o gol de mão do argentino Diego Maradona contra a Inglaterra na Copa do México, em 1986.

Próximos passos no STJD

Após o STJD abrir vista aos envolvidos, o Internacional já se manifestou nessa semana sobre o pedido. Para o caso avançar, o Tribunal aguarda pela manifestação oficial do Vasco sobre o conteúdo do material audiovisual disponibilizado pela CBF. Depois disso, o presidente Otávio Noronha vai decidir se aceita ou não o pedido de impugnação da partida, válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Se Otávio Noronha decidir que não houve “erro de direito” e que não há fundamentação par ao pedido do Vasco, o caso é arquivado. Mas, se entender que pode ter acontecido o “erro de direito”, o pedido é deferido e o caso vai para julgamento no Pleno do STJD.

Em caso de sucesso, o Vasco terá chances de permanecer na elite do futebol brasileiro, evitando o que seria o quarto rebaixamento de sua história.

Confira a nota oficial emitida pelo Vasco

“O Club de Regatas Vasco da Gama confirma que recebeu, na noite desta terça-feira (23), material de áudio e vídeo do VAR referente à partida Vasco da Gama x Internacional, realizada no dia 14/02/2021, válida pela 36ª rodada do campeonato brasileiro de futebol.

O conteúdo audiovisual foi analisado pelos departamentos de Futebol, Jurídico e de Tecnologia do Clube. As imagens mostram de maneira incontestável a posição de impedimento do jogador Dourado do Internacional no lance em questão, prejudicando o Vasco da Gama de forma irreparável na partida. Mais ainda, mostra que as linhas do VAR foram aplicadas e confirmaram o impedimento, reconhecido inicialmente pelo árbitro de vídeo, que, em seguida, de maneira açodada e temerária, confirma o gol ilegal do Internacional.

Esse material fático e probatório será utilizado na manifestação jurídica do Vasco a ser entregue nesta quinta-feira (25/02) ao STJD, provando de maneira clara e objetiva o erro de direito contra o Vasco, cujo resultado não pode ser outro, além da impugnação da partida”

Fonte: Blog Lei em Campo

Leia mais sobreInternacionalVAR
5 comentários
  • Santos - 26 de fevereiro de 2021

    Se fosse contra os urubus podia dizer que fariam mais uma portuguesa no futebol.

    Responder
  • Antonio+Raimundo+dantas - 26 de fevereiro de 2021

    Assino tudo que o Alex sandro mota falou. O Vasco depois de 2000 esta sendo prejudicado por quem ??? Claro a globosta que não gostou até hoje o SBT nas costas da camisas do Vasco na final contra o São Caetano. Fato. Essa é a HERANÇA maldita que o Eurico Miranda deixou pra nós. O Eurico Miranda fez vários inimigos durante o seu reinado, portanto são as frutas que ele semeou e que nos torcedores estamos vivendo agora.

    Responder
  • Edson sardinha francisco - 26 de fevereiro de 2021

    Sou vascaino, esse processo que esta no tribunal desportivo só e a favor de quem eles querem, não vai ser anulada a partida.

    Responder
  • Edson sardinha francisco - 26 de fevereiro de 2021

    Sou vascaino, mais esse tribunal de justiça desportivo nunca resolve nada vão como sempre arquivar esse processo.

    Responder
    • alex Sandro mota - 26 de fevereiro de 2021

      Uma coisa e certo, o Vasco está sendo rebaixado porque jogou muito mal o campeonato todo, mas vamos ser justos, mesmo jogando mal, o Vasco foi prejudicado em vários jogos ex: Vasco x flamengo, Gol do cano no final da partida e eles anularam, muito mas evidente do que esse.
      Obs: o Vasco está sendo rebaixado por diferença de 01 ponto : uma pesquisa mostra que o Vasco foi o time que teve mais decisões do VAR contrário no total 18, por aí vc ver como o time e prejudicado, não e possível que desse montantate eles não mudaram algumas? Vasco sendo prejudicado a anos pelas arbitragem a mando de CBF e Rede Globo, lembra da camisa com o logomarca do SBT .

Deixe sua opinião

Últimas notícias
9 de dezembro de 2021
Vasco goleia em estreias no Carioca masculino e feminino de Beach Soccer

Enquanto no masculino o Vasco da Gama venceu o Ronald Carvalho por 8×3, no feminino o Cruzmaltino derrotou o Carioca por 9×0.

Yuri, volante do CSA, teria sido oferecido ao Vasco

Considerado um dos melhores jogadores da posição na Série B, Yuri está sendo analisado por Carlos Brazil, gerente-executivo do Vasco da Gama.

8 de dezembro de 2021
Graça teria duas propostas para deixar o Vasco, uma da Ásia e outra dos EUA

Conversas, porém, ainda são embrionárias; contrato com o Vasco da Gama vai até 2023 e, para sair, técnico Zé Ricardo teria que aprovar.

Edu reposta story no Instagram com crítica ao Vasco: ‘Diretoria incompetente’

Novo reforço do Cruzeiro, Edu compartilhou uma postagem de incentivo que, ao mesmo tempo, criticava a diretoria do Vasco da Gama.

Vasco lamenta morte de Mário Franco, ex-atleta do remo

Também conhecido como Boco Moco, Mário conquistou títulos como o Brasileiro, Sul-Americano e Pan-Americano pelo Vasco da Gama.

Cruzeiro acerta contratação de Edu; centroavante foi sondado pelo Vasco

Via redes sociais, Brusque revelou que o jogador está de saída para o Cruzeiro; negociação com o Vasco da Gama não avançou.

‘Gol’ de Nenê em famosa janela de Paris viraliza na internet; assista

De férias em Paris, meia do Vasco da Gama participou de brincadeira em famoso point local, acertou o alvo e levou os torcedores ao delírio.

Médico do Vasco celebra número baixo de lesões em meio às dificuldades da Série B

Chefe do departamento médico do Vasco da Gama, Gustavo Caldeira celebrou que número de lesões em 2021, isto é, 23, não superou 2020.

Carol Paiffer ‘puxa orelha’ de vascaínos e garante compromisso com o Vasco

A investidora Carol Paiffer não tem gostado dos spans de ‘Vasco’ promovido por alguns torcedores em suas lives.

Entenda a função que Brazil exercerá no Vasco; dirigente conhece bem Zé Ricardo

De volta ao Vasco da Gama, Carlos Brazil se reencontrará com Zé Ricardo, o mesmo que o indicou ao Gigante em 2018.

Veja mais notícias