Entrevista coletiva de Vanderlei Luxemburgo após o jogo contra o Goiás

O técnico Vanderlei Luxemburgo avaliou o desempenho do Vasco da Gama contra o Goiás e lamentou o empate em São Januário.

Luxemburgo conversou com os jornalistas após o empate em 1 a 1 do Vasco com o Goiás nesta segunda, em São Januário, mas um dos assuntos principais foi a renovação de contrato. Sem proposta na mesa, o treinador destacou a necessidade de projetos de peso para a continuidade de um trabalho com objetivos mais ambiciosos.

- Independentemente de renovar contrato ou não, o Vasco tem de pensar em coisas diferentes no ano que vem. Você não pode brigar para não cair todo ano. Quando cheguei, disse que não cair era obrigação, porque o Vasco precisa sair desse patamar. Tem de se pensar em planejamento. É fundamental que tenha planejamento. Não é questão de renovar contrato comigo, é de apresentar um projeto para a próxima temporada, o que vamos trabalhar, orçamento, onde queremos chegar. Tem de botar no papel - afirmou.

Em campo, Vanderlei lamentou o resultado. O treinador afirmou não acreditar em possibilidade de rebaixamento com 44 pontos, mas viu a busca pela Libertadores mais distante.

- Se tivéssemos ganhado hoje, depois mais dois jogos em casa, podia buscar alguma coisa. Agora, ficou mais difícil. Um pouco mais complicado.

VEJA OUTROS TRECHOS DA COLETIVA:

OS 90 MINUTOS CONTRA O GOIÁS

"O time sentiu um pouco o desgaste do jogo, mesmo que eu tenha dado um dia para ficar em casa. O jogo contra o Flamengo exigiu muito da parte emocional. Faltou ter tranquilidade para buscar o contragolpe. Na transição, o passe não era bom.

Acho que faltou segurarmos um pouco a bola. Sair, ficar com a bola lá na frente. O segundo gol tinha de sair com naturalidade. Sofrendo uma falta, sofrendo outra falta. Não soubemos fazer isso".

GOL NO FIM

"Foram tantos escanteios seguidos que, de repente, poderia acontecer. Mérito do Goiás. Somamos um ponto. Estivemos mais vezes com a responsabilidade de ganhar o jogo, mas isso é futebol".

ZONA DA CONFUSÃO

"Acho que ninguém consegue chegar a 44 pontos, mas seria bom a vitória para brigar por algo lá em cima".

ALEXANDRE MELO NO 2º TEMPO

"Eu tirei o Danilo porque ele é muito intenso e já tinha amarelo. O menino entrou bem, é um jogador que está em crescimento. Tem um potencial para crescer".

DECLARAÇÃO DE JORGE JESUS

"Eu acompanhei a declaração dele. No primeiro encontro que tive com o Jesus foi num restaurante na Barra. Depois, tivemos uma reunião de todos os técnicos convidados pelo Juninho no Maracanã. Ele estava presente, sentou conosco, conversou, deu opinião. O que eu achei, vendo a declaração, é que ele generalizou.Ele colocou todos os técnicos como se todos o rejeitassem. Se ele tem alguém, que ele fale dessa pessoa. Quando ele coloca todo mundo não é correto.

Não tem ninguém aqui rejeitando. O que existe é um técnico estrangeiro fazendo um bom trabalho aqui e uma parte da imprensa fazendo um enfrentamento entre nós. Não tem nada a ver com Jesus ou Sampaoli. São bons profissionais que estão aqui e são muito bem aceitos. Eu estou sempre no restaurante que o Jesus também está. Acho que ele não deveria generalizar. Se não, parece que todos estão contra ele. E isso é uma inverdade.

Por exemplo, eu fui para a Espanha. Teve um técnico espanhol que me contestou e eu discuti com ele. Acho que ele não deveria ter generalizado. Ele está muito bem aceito aqui pelos brasileiros, pela torcida dele. Ele colocou todos os técnicos brasileiros num saco. Eu vejo a gente disputando a competição. Ele tem uma grande equipe. Vamos disputar. Isso é uma rivalidade de campo. Agora, se tem algo pessoal de algum técnico, ele não poderia falar de todos os técnicos brasileiros. Ele está muito bem aceito, como o Sampaoli".

Leia mais sobre: Vasco x Goiás, Vanderlei Luxemburgo

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »