Diretoria do Vasco vive dilema sobre efetivação de Valdir Bigode

Elenco e torcida são a favor de Bigode no comando do Vasco, mas Campello não gostaria de efetivá-lo neste momento do Clube.

Valdir Bigode assumiu mais uma vez interinamente o comando do elenco do Vasco desde a saída de Jorginho, na noite de segunda-feira. No clube e até mesmo para a torcida a efetivação dele no cargo parece uma estratégia acertada neste momento da temporada, afinal de contas, nenhum treinador que for contratado vai conhecer tão bem o plantel. Pesa a favor do ex-jogador a grande identificação com a Colina.

Valdir foi jogador do Vasco na década de 90, sendo um dos principais artilheiros do clube no período. Esteve presentes em conquistas importantes, como o tricampeonato estadual entre 1992 e 1994. Além de agradar aos torcedores e ao próprio elenco, que já saiu em defesa da efetivação, a diretoria poderia ter uma boa economia no caso de uma efetivação. Mesmo que contrate um treinador sem nome, terá que onerar a folha salarial muito mais do que um possível reajuste a Valdir.

Porém, a diretoria vive um dilema porque o presidente Alexandre Campello não gostaria de “queimar” Valdir Bigode em um momento no qual o time flerta com a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Fora isso, a pressão é muito grande em um ano onde o Campeonato Carioca foi perdido graças a um gol nos acréscimos do segundo tempo, e a Copa do Brasil, a Copa Sul-Americana e a Copa Libertadores ficaram marcadas por eliminações precoces.

Campello entende que o Vasco já investiu muito em Valdir Bigode, inclusive com cursos e com a presença dele junto a diversas comissões técnicas. A ideia é tê-lo à frente do elenco iniciando um trabalho, o que poderia acontecer em 2019.

Uma estratégia pode ser deixá-lo interinamente na função por alguns jogos, sem dar o peso de uma efetivação. O Flamengo fez isso alguns meses com Maurício Barbieri e parece ter funcionado.

Independentemente da decisão da diretoria, Valdir comandará o time no jogo da próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), contra o Ceará, em São Januário, no Rio de Janeiro, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O time para este jogo, porém, só deverá ser definido minutos antes do confronto, uma vez que nesta sexta-feira Valdir mais uma vez fechou a atividade. O plantel volta a trabalhar neste sábado pela manhã.

Leia mais sobre: Valdir Bigode

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »