Dinamite faz pedido ao elenco do Vasco para o clássico e elogia Luxemburgo

O ex-jogador Roberto Dinamite diz que o time do Vasco da Gama precisa ficar ligado durante o clássico contra o Flamengo.

Principal artilheiro da história do Campeonato Brasileiro , com 190 gols, e maior ídolo do Vasco , entre outros feitos, Roberto Dinamite sabe como poucos como é a sensação de disputar o clássico diante do Flamengo . E, na opinião do ex-atacante e ex-presidente do seu clube do coração, pelo qual fez 702 gols em 1110 jogos, o time da Colina precisará estar ligado durante os 90 minutos nesta quarta-feira, no Maracanã:

- Temos que ser bastante realistas. Teoricamente, o Flamengo é favorito pela campanha, pelo time, pela qualidade que tem. Mas só isso, num jogo como este, não basta - aposta o ex-atacante.

Como o elenco cruz-maltino deve se portar, então?

- Se o Vasco quiser atrapalhar a festa do adversário, terá que ser aplicado e se superar. E num Vasco x Flamengo tudo pode acontecer. Acho que fui o jogador que mais atuei neste clássico (segundo o site O Gol, foram 62 partidas, 52 pelo Carioca e 10 pelo Brasileiro, com 18 vitórias, 25 empates e 19 derrotas). É preciso estar ligado desde o vestiário, com muita vontade, porque quem não quiser jogar esse clássico, melhor nem ir pra concentração.

O maior ídolo do Vasco também acredita que as orientações de Vanderlei Luxemburgo devem ser seguidas à risca:

- Precisa ter vontade, aplicação daquilo do que o treinador está determinando e aquele algo a mais que faz parte de qualquer grande jogo. E, pra mim, é o maior clássico a nível de motivação, de vontade, de superação.

Embora Gabigol e Bruno Henrique formem o melhor ataque do Brasil na atualidade, Dinamite pede atenção não só com eles no jogo de logo mais:

- O Flamengo tem vários atletass dentro desse setor de atacantes e jogadores que fazem essa ligação entre meio e ataque. Gabigol e Bruno Henrique vivem, na minha opinião, o melhor momento da carreira. Mas eles têm jogadores como Éverton Ribeiro, que pra mim é dos mais regulares, que tem uma qualidade técnica excepcional, uma visão muito grande. O Gerson também se encaixou bem dentro da equipe do Flamengo. É uma situação que o Vasco tem que se preocupar não só com Gabigol e Bruno Henrique, que estão fazendo a diferença, mas, principalmente, com o Éverton, que mete muito bem a bola, facilita para que os atacantes façam os gols. Pra isso, temos que estar atentos o tempo todo.

Na opinião do campeão brasileiro de 1974, a ausência do zagueiro Leandro Castan, suspenso, será sentida. Ainda assim, ele faz um pedido aos jogadores que entrarem em campo no Maracanã com a camisa vascaína:

- Espero que não só os zagueiros, mas o setor de meio campo do Vasco possa estar muito ligado para neutralizar principalmente a chegada dos que chegam de trás. Principalmente do Éverton Ribeiro e Gerson, que têm municiado muito bem os atletas lá na frente.

O maior artilheiro da história do Vasco também elogia o goleiro Diego Alves:

- É um jogo que mexe com todo mundo, todos têm que ficar atentos, falo mais do lado do Vasco, porque o Flamengo tem uma forma de jogar, de tocar, de aparecer, está vivendo este momento excepcional. Porque quando as coistas estão dando certo, tudo acontece. Quando tem uma situação ou outra lá atrás, o goleiro faz uma grande defesa.

Favoritismo do rival à parte, Dinamite cita dois exemplos recentes de equipes que fizeram partidas equilibradas contra o Flamengo:

- O CSA adiantou a marcação, voltou para marcar na intermediária, foi um time que teve atitude e buscou o resultado melhor e, por incrível que pareça, o goleiro fo Flamengo fez duas ou três grandes defesas ainda no momento em que as coisas não estavam decididas. O Botafogo fez uma marcação mais forte e teve atenção. O caminho para o Vasco é este: estar ligado o tempo todo, mas claro, não só correr atrás dos caras. Mas, quando tiver com a posse da bola, sair pra buscar aquilo que interessa, que é o resultado, de forma equilibrada.

Elogios a Luxemburgo

Sobre o último duelo contra o rubro-negro, o maior artilheiro da história dos Brasileiros vê a goleada por 4 a 1, no dia 17 de agosto, em Brasília, como um exagero:

- O Vasco começou muito bem, teve oportunidades, pênaltis e perdeu. Na realidade, não mostrou o que foi a partida em si, mas mostrou que, do outro lado, há jogadores que são decisivos quando é preciso e aproveitaram as oportunidades.

Lanterna durante as sete primeiras rodadas, o time da Colina vem evoluindo desde a chegada de Luxemburgo e está em 11º. E Dinamite não poupa elogios ao comandante vascaíno:

- Ele tem mostrado uma capacidade excepcional, o que pra mim não é novidade. É um cara vencedor, não ganhou um, mas vários títulos, mostrou e tem mostrado um grande trabalho, principalmente neste momento do Vasco, de superação e de recuperação. Ele tem o prestígio e o atleta está ouvindo o que ele está falando. Ele tem bagagem, está motivando os jogadores.

E qual o foco do Vasco no Brasileiro?

- Hoje tem que ser o Flamengo, não a pré-Libertadores ou Sul-Americana. Hoje, com 42 pontos, o time precisa pontuar para respirar tranquilo nesta etapa para depois pensar nas outras duas, que seriam e podem ser importantes, a partir do momento que consiga esse equilíbrio nos próximos jogos.

Leia mais sobre: Vasco x Flamengo, Roberto Dinamite

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »