Declarações de Vanderlei Luxemburgo após o jogo contra o Athletico-PR

Confira abaixo as declarações de Vanderlei Luxemburgo após o jogo contra o Athletico-PR, em São Januário, pelo Brasileiro.

Luxemburgo: "Aconteceu. A torcida abraçou o time. Em momento algum eu vi a torcida se voltar contra a equipe. Sabemos que quando o time não atua bem, a torcida se volta contra. Ela viu que a equipe estava no jogo. O Athletico-PR é uma grande equipe".

Luxemburgo: "Eles têm um trabalho de um ano e meio juntos. É difícil vencê-los. É o time mais argentino que tem no Brasil hoje. Se pegarem a final da Copa do Brasil, é o time que mais toma tempo de jogo, com caída, atendimento. Jogadores caem toda hora".

Luxemburgo: "É um time que sabe estar com o resultado e sabe fazer a coisa que o argentino faz muito bem. Vocês viram o jogo da Copa do Brasil, como fizeram contra o Inter. O jogo contra o Santos na Vila também. Houve uma reclamação muito grande dos profissionais do Santos".

Luxemburgo: "Mas não quero tirar o mérito. É um treinador começando sua carreira. Conquistamos um pouco, não perdemos dois".

Luxemburgo: "Futebol tem contato e tem hora que é difícil evitar. Eu fiz questão de ver o lance (do gol do Raul). Eu não vi em momento algum a intenção de o Henríquez pisar no goleiro do Athletico. Ele está caído e na sequência o Henríquez tem de continuar".

Luxemburgo: "Não tem como fugir do toque. Falta sensibilidade de o VAR ver que existe o corpo humano ali. O Boca não é um jogador violento. Não é um cara de agredir. Simplesmente, foi um toque. Acho que temos de dar os parabéns para os nossos jogadores pela exibição".

Luxemburgo: "O time está evoluindo. Houve as trocas normais, mantendo de início a estrutura tática e depois mudando. Houve um momento em que mudei a estrutura tática. Depois do pênalti, começamos a dominar o jogo. Eles só tinham o contra-ataque e a bola parada".

Luxemburgo: "Ele vem jogando bem há tempos, fazendo participação. Hoje foi mais agudo ainda, decisivo. Estamos criando essa característica nele. Meia tem de pisar na área. E ele pisou na área, fez ultrapassagem. Eu acho que volante que fica por trás".

Luxemburgo: "Primeiro eu queria dar estrutura tática. A primeira foi ficar fechado, retraído. Eu dei essa estrutura, mas agora preciso crescer um pouco mais. Eu vejo que utilizam muito os goleiros. A gente fez a bola voltar ao goleiro para ele arriscar".

Luxemburgo: "O goleiro é muito bom e mesmo assim eles erraram. Eu não saí tocando porque tem uma marcação adiantada muito boa. Treinei também, você viu que eu treinei o Ribamar para a bola sobrar para o Talles. Queríamos dessa forma".

Luxemburgo sobre Bahia e CAP: "Essa eu só vou poder te responder no fim do campeonato. O campeonato termina numa sequência de 19 jogos. Enfrentamos o Bahia, agora o time campeão da Copa do Brasil. Se perceber os pontos que perdemos em casa, fomos fora e recuperamos".

Luxemburgo: "O percentual diminuiu, mas não assusta. A nossa casa é uma casa a ser respeitada e vamos fazer isso. Se não tivéssemos a torcida e a equipe totalmente concentradas dentro do jogo, não conseguiríamos o empate. Empatamos contra uma equipe que sabe se fechar".

Luxemburgo: "Se você pegar da minha entrada para cá, a nossa disputa é de Brasileiro disputando lá em cima. Em oitavo, sétimo, sexto. Nós estamos dentro da competição. Estamos jogando o Brasileiro com a intensidade que ele permite".

Luxemburgo sobre Talles: "O clube forma jogador, paga salário, isso, aquilo, e falta a CBF entender a necessidade. Estamos numa posição de buscar manter o time na primeira divisão e eles estão radicais no sentido de liberar o jogador. Já não liberaram".

Luxemburgo: "Vamos perder um jogador importante por até 10 jogos. Como o Branco e o Juninho falaram, fiquei até surpreso, perguntei se ia me tirar jogador de dois jogos importantes e eles disseram "como fica a Seleção?".

Veja em vídeo:

Leia mais sobre: Vasco x Athletico-PR, Vanderlei Luxemburgo

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »