Declarações de Vanderlei Luxemburgo após o jogo contra o Goiás

Confira as declarações do técnico do Vasco da Gama, Vanderlei Luxemburgo, após o jogo contra o Goiás, em São Januário.

Luxemburgo: "O time sentiu um pouco o desgaste do jogo, mesmo que eu tenha dado um dia para ficar em casa. O jogo contra o Flamengo exigiu muito da parte emocional. Faltou ter tranquilidade para buscar o contragolpe. Na transição, o passe não era bom".

Luxemburgo: "Foram tantos escanteios seguidos que, de repente, poderia acontecer. Mérito do Goiás. Somamos um ponto. Estivemos mais vezes com a responsabilidade de ganhar o jogo, mas isso é futebol".

Luxemburgo: "Acho que ninguém consegue chegar a 44 pontos, mas seria bom a vitória para brigar por algo lá em cima".

Luxemburgo: "Eu tirei o Danilo porque ele é muito intenso e já tinha amarelo. O menino entrou bem, é um jogador que está em crescimento. Tem um potencial para crescer".

Luxemburgo: "Independentemente de renovar contrato ou não, o Vasco tem de pensar em coisas diferentes no ano que vem. Você não pode brigar para não cair todo ano. Quando cheguei, disse que não cair era obrigação, porque o Vasco precisa sair desse patamar".

Luxemburgo: "Tem de se pensar em planejamento. É fundamental que tenha planejamento. Não é questão de renovar contrato comigo, é de apresentar um projeto para a próxima temporada, o que vamos trabalhar, orçamento, onde queremos chegar. Tem de botar no papel".

Luxemburgo: "Não, não (foi apresentado o projeto)".

Luxemburgo: "Se tivéssemos ganhado hoje, depois mais dois jogos em casa, podia buscar alguma coisa. Agora, ficou mais difícil. Um pouco mais complicado".

Luxemburgo: "Acho que faltou segurarmos um pouco a bola. Sair, ficar com a bola lá na frente. O segundo gol tinha de sair com naturalidade. Sofrendo uma falta, sofrendo outra falta. Não soubemos fazer isso".

Luxemburgo: "O Marcos Júnior fazia o lado esquerdo, e o Rossi e o Marrony por dentro. Tivemos várias jogadas com Rossi, Raul e Cáceres. O Guarín era um jogador que saía bastante na área. Não foi ruim, não. Depois, quando vi que o Goiás cresceu, eu coloquei mais um atacante".

Luxa: "Ele estava presente, sentou conosco, conversou, deu opinião. O que eu achei, vendo a declaração, é que ele generalizou.Ele colocou todos os técnicos como se todos o rejeitassem. Se ele tem alguém, que ele fale dessa pessoa. Quando ele coloca todo mundo não é correto".

Luxa: "Não tem ninguém aqui rejeitando. O que existe é um técnico estrangeiro fazendo um bom trabalho aqui e uma parte da imprensa fazendo um enfrentamento entre nós. Não tem nada a ver com Jesus ou Sampaoli. São bons profissionais que estão aqui e são muito bem aceitos".

Luxemburgo: "Eu estou sempre no restaurante que o Jesus também está. Acho que ele não deveria generalizar. Se não, parece que todos estão contra ele. E isso é uma inverdade".

Luxa: "Por exemplo, eu fui para a Espanha. Teve um técnico espanhol que me contestou e eu discuti com ele. Acho que ele não deveria ter generalizado. Ele está muito bem aceito aqui pelos brasileiros, pela torcida dele. Ele colocou todos os técnicos brasileiros num saco".

Luxemburgo: "Eu vejo a gente disputando a competição. Ele tem uma grande equipe. Vamos disputar. Isso é uma rivalidade de campo. Agora, se tem algo pessoal de algum técnico, ele não poderia falar de todos os técnicos brasileiros. Ele está muito bem aceito, como o Sampaoli".

Resposta de Luxemburgo sobre a declaração de Jorge Jesus: "Eu acompanhei a declaração dele. No primeiro encontro que tive com o Jesus foi num restaurante na Barra. Depois, tivemos uma reunião de todos os técnicos convidados pelo Juninho no Maracanã".

Leia mais sobre: Vasco x Goiás, Vanderlei Luxemburgo

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »