Data da posse de Jorge Salgado no Vasco gera nova polêmica na política do Clube

Roberto Monteiro marcou a data da posse de Jorge Salgado no Vasco da Gama para a próxima segunda-feira, mas data gerou discordância.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  19 de janeiro de 2021 às 09:16-  Atualizada em 19 de janeiro de 2021 às 09:18
Campello conversando com Jorge Salgado em entrevista (Foto: Bruno Braz/UOL Esporte)

Como se já não bastassem todas as batalhas jurídicas que envolvem a eleição do Vasco em meio à luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o clube agora também se vê diante de um conflito interno no que compete à data da posse de Jorge Salgado, declarado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) como o vencedor do pleito.

Presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro fez a convocação, no último sábado (16), marcando a sessão solene para a próxima segunda-feira (25), algo que gerou discordância por parte dos apoiadores de Salgado.

Eles alegam que os artigos 55 e 76 do estatuto do clube são claros em afirmar que o evento tem que acontecer na primeira semana da segunda quinzena de janeiro. Ou seja, este ano, tendo este calendário como base, a data limite seria até esta sexta-feira (22).

Por conta desta interpretação, Faues Cherene Jassus e Otto Carvalho — atual e futuro presidente da Assembleia Geral, respectivamente — emitiram no dia seguinte a convocação de Monteiro um ofício solicitando que o presidente do Conselho Deliberativo retificasse a data, classificando o ato como uma “violação estatutária”.

O dirigente, porém, ignorou até o momento, o que fez com que Jassus e Carvalho emitissem um novo ofício ontem (18), desta vez ao vice-presidente do Conselho Deliberativo, Sérgio Romay, que pertence ao mesmo grupo político de Monteiro e compartilha das mesmas ideologias que seu companheiro de órgão.

Neste novo documento, a dupla se baseia no artigo 99, inciso XXI, do estatuto do clube e alerta que, caso a sessão solene não seja marcada para o próximo dia 22, quem fará a convocação será o presidente da Diretoria Administrativa, Alexandre Campello.

Campello, aliás, também notificou Romay fazendo a mesma solicitação e confirmando que, caso não haja a retificação, ele fará a convocação.

Rege a carta magna vascaína que o evento tem como fim dar posse aos membros eleitos para o Conselho Deliberativo e empossar também os presidentes e vices da Diretoria Administrativa e Assembleia Geral.

Também na mesma sessão se elege a Mesa Diretoria do Conselho Deliberativo e os integrantes do Conselho Fiscal para o próximo triênio.

Monteiro entrou com ações contra Salgado

A possibilidade de consenso entre as partes é remota, principalmente pelo conflituoso cenário político criado os envolvidos. Roberto Monteiro é apoiador do ex-candidato Leven Siano e ingressou com ações na Justiça no sentido de invalidar a vitória de Jorge Salgado na eleição do Vasco.

O dirigente também sempre esteve em lado oposto ao de Jassus e Otto na trincheira da guerra política cruz-maltina.

Sessão será híbrida?

Algo que não deve render tanta polêmica é em relação ao formato da sessão solene. Alexandre Campello já informou a Monteiro, também por ofício, que o evento acontecerá de modo híbrido e que o clube já contratou a empresa “Tafner” para gerir a votação on-line da Mesa Diretora do Conselho.

O dirigente se baseia nas questões sanitárias relacionadas à Covid-19 e também no acórdão do desembargador Custódio de Barros Tostes, que frisou a alteração na Lei Pelé que determina que os processos eleitorais das entidades desportivas devem assegurar votação não presencial.

Fonte: Uol

Leia Mais Sobre