Daniel Gonçalves explica trabalho específico com Bruno César e Maxi López

O coordenador científico do Vasco da Gama, Daniel Gonçalves, ainda exaltou o novo recurso tecnológico adquirido pelo Clube.

Em participação no programa ‘Tá na Rede’, da Rádio Globo, o coordenador científico do Vasco da Gama, Daniel Gonçalves, explicou sobre o trabalho específico que está sendo feito com Maxi López e Bruno César, que tiveram uma pré-temporada prolongada.

Daniel Gonçalves falou sobre a situação de Maxi López. Ele destacou que o atacante passou muitos anos jogando na Europa, onde a pré-temporada é mais prolongada do que o acostumado no Brasil, e explicou que vem sendo feito um trabalho para que ele consiga ter um desempenho igual ou superior ao de 2018.

“Particularmente, Maxi foi um atleta que passou uma década jogando na Europa, e lá a pré-temporada é mais prolongada do que estamos acostumados aqui. É um atleta que conversa, ele já tinha manifestado esse desejo e a gente vem fazendo um trabalho paulatino com ele de forma que ele consiga ter um desempenho igual ou superior ao que ele teve no ano passado”, disse o coordenador científico.

Na sequência, Daniel Gonçalves contou que a questão de Bruno César é adaptação. Ele revelou que o meio-campista se queixou do calor que vem encarando no Rio de Janeiro, e que ainda lhe resta se adaptar à dinâmica, fundamentos e ao modelo de jogo do futebol brasileiro, ele que estava há muitos anos jogando na Europa. O coordenador científico ainda destacou que tem percebido melhoras consideráveis.

“Já Bruno César é aquela adaptação. O mês de janeiro no Rio de Janeiro é muito quente, a gente tem temperaturas de 40 graus, se a gente pegar a percepção de calor com a humidade, e ele se queixou um pouco disso. Ainda tem a adaptação à própria dinâmica, fundamentos, a um modelo de jogo e etc. A gente também preferiu fazer esse tipo de trabalho com ele, e a gente tem percebido melhoras consideráveis”, contou Gonçalves.

Novo recurso tecnológico adquirido pelo Vasco

O Vasco adquiriu recentemente um novo recurso tecnológico, com o intuito de que possa dar melhores condições de desempenho para os seus jogadores, e para a prevenção de lesões. Para Daniel Gonçalves, isso deixa o Clube no controle de carga em igualdade de condições com grandes clubes da Europa, e afirmou que o Gigante da Colina tem a consciência e vai melhorar ainda mais a sua estrutura ao longo do ano.

“Esse recurso tecnológico que o Vasco investiu, o deixa no controle de carga em igualdade de condições com o Manchester City, Manchester United, só para dar exemplo. O que a gente percebe mundo a fora é que não precisa ter luxo, e sim funcionalidade. Em termos de estrutura o Vasco está se mobilizando, tem a consciência disso, a gente pode falar que é extremamente funcional e que ainda vai ser melhorada ao longo do ano”, concluiu o profissional.

Daniel Gonçalves está de volta ao Vasco após uma passagem pelo Flamengo. Antes, ele trabalhou no Gigante da Colina entre 2003 e 2014, e nesse retorno terá a grande missão de diminuir o número de lesões no elenco, questão que tanto atrapalhou o Clube na temporada passada.

Leia mais sobre: Notícias Exclusivas, Maxi López, Bruno César

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »