Conselheiros recolhem assinaturas para cobrar Campello por veto a sócios

Conselheiros do Vasco recolhem assinaturas para cobrar explicações de Alexandre Campello por veto a sócios no Vasco.

A decisão do presidente do Vasco, Alexandre Campello, de vetar centenas de pessoas que tentaram se associar na categoria que dá direito a voto na eleição (sócio-geral) segue gerando polêmicas e desdobramentos. Agora, conselheiros estão reunindo assinaturas para que seja convocada uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo com o intuito de cobrar explicações do mandatário sobre o impedimento de novos associados.

O movimento está sendo feito pelo benemérito Fred Lopes, do grupo "Avante, Gigante", mas tem ganhado a adesão de outros grupos contrários ao posicionamento do dirigente.

Conselho Deliberativo do Vasco é convocado para discutir eleição direta

"Estamos recolhendo estas assinaturas para que ele se explique e dê satisfação de tanta gente barrada tendo cumprido todos os pré-requisitos", disse Fred Lopes aoUOL Esporte.

Para que a reunião do Conselho Deliberativo seja convocada se faz necessário que se tenha ao menos 60 assinaturas, algo que Lopes garantiu que conseguirá. "Até sexta ou, no mais tardar, no jogo de domingo [contra o Fortaleza, em São Januário] teremos conseguido", prometeu.

Vale lembrar que, apesar dos conselheiros cobrarem explicações, Alexandre Campello tem se escorado no artigo 14 do estatuto do clube para dizer que "a diretoria não é obrigada a dar os motivos da recusa".

Entenda o caso

Após o Conselho Deliberativo votar pela redução da taxa de adesão para a categoria que dá direito a voto (sócio-geral), cerca de mil vascaínos ingressaram com o pedido até o dia 15 de agosto, que foi o prazo máximo dado para quem quisesse participar da eleição de 2020.

O plano, porém, prevê que, para se associar, a pessoa precisa de um sócio proponente para assinar sua ficha de inscrição e também de uma aprovação pelo presidente do clube, Alexandre Campello.

Passados até três meses de mensalidades pagas, centenas de torcedores ainda não tiveram uma resposta sobre suas situações, o que têm gerado reclamações dos mesmos e críticas por parte da oposição, que acusa Campello de estar "peneirando" os novos associados.

O presidente vascaíno, então, foi cobrado pelo Conselho de Beneméritos e o respondeu em carta alegando que a demora se dá por supostas movimentações suspeitas na adesão dos possíveis sócios-geral, detalhando alguns itens como: ônibus fretado para associação em massa; plantões de sócios no clube para assinarem como proponentes - com casos de até 130 propostas assinadas pelo mesmo proponente; e primeiras mensalidades pagas com cartões de crédito de terceiros.

Até o momento, pouco mais de 400 pessoas tiveram suas propostas aceitas e a tendência é que o número não se altere tanto, com centenas tendo seus ingressos na categoria de sócio-geral vetados por Campello.

Veja a íntegra do comunicado:

"Viemos através deste informá-lo que sua proposta de sócio-geral do Club de Regatas Vasco da Gama, infelizmente, foi indeferida. Referente à justificativa da recusa, segue trecho do artigo 14 do estatuto:

'As importâncias de que trata o presente artigo ficarão em depósito e serão devolvidas, desde que não seja aceita a proposta. A diretoria não é obrigada a dar os motivos da recusa'.

Em breve, entraremos em contato para mais informações quanto à devolução do valor despendido no ato da proposta".

Leia mais sobre: Alexandre Campello, Política

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »