Conselheiros do Vasco recebem ligações anônimas antes de reunião

Conselheiros do Vasco receberam ligações anônimas cobrando o comparecimento na reunião desta noite, em tom de ameaça.

Como de praxe, a reunião do Conselho Deliberativo de hoje (11) no Vasco está cercada de tensão. Em pauta, a solicitação por parte da diretoria de aprovação de um empréstimo de R$ 20 milhões para colocar os salários do clube em dia. Como o estatuto prevê um quórum mínimo de 150 conselheiros para votação ser aberta, há a preocupação em relação a presença de conselheiros, o que tem causado algumas movimentações suspeitas ao longo do dia.

O UOL Esporte tomou conhecimento de que alguns conselheiros receberam ligações anônimas cobrando o comparecimento num tom que consideraram de ameaça. Cerca de 40 deles já apresentaram justificativas para a ausência ao presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro.

Na reunião da segunda-feira passada (3), quando o presidente do clube, Alexandre Campello, se livrou por pouco de uma abertura de sindicância que poderia culminar em um impeachment, os 202 conselheiros presentes também votaram por uma aprovação de empréstimo de R$ 10 milhões dos R$ 30 milhões que haviam sido sugeridos pela diretoria. Na ocasião, ficou definido então que hoje se decidiria pelos outros R$ 20 milhões.

Os dirigentes vascaínos enxergam como fundamental a obtenção dos R$ 30 milhões para o clube sanar os salários. Atualmente, o Cruzmaltino deve três meses de 2019 para funcionários - além de férias e 13º de 2017 - e dois meses de carteira para os jogadores, além de três meses de imagem.

Recentemente, deixaram o Vasco de forma litigiosa na Justiça do Trabalho os jogadores Maxi Lopez, Thiago Galhardo e Bruno Silva. Ano passado o meia Wagner já havia tomado o mesmo rumo.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »