Confira os fatores que explicam a derrota do Vasco para o Corinthians

Confira abaixo os fatores que explicam a derrota do Vasco da Gama para o Corinthians neste domingo, pelo Brasileirão.

Na manhã desde domingo, jogando em Itaquera, o Vasco teve uma atuação valente. Bem postada em campo, a equipe de Vanderlei Luxemburgo foi melhor que o Corinthians em vários momentos, e chegou a abrir o placar com o Werley no início do segundo tempo, em lance de bola parada - anulado por impedimento bastante ajustado. Mas algumas barreiras, já conhecidas, atrapalharam o Cruz-maltino na busca por um resultado melhor que a derrota por 1 a 0, válida pela 22ª rodada do Brasileirão.

Com o resultado, o Vasco permanece com 24 pontos, e até o fim da rodada, pode ver cair a diferença de cinco pontos para a zona de rebaixamento.

NO PRIMEIRO TEMPO, DEFESA VAI BEM

O primeiro tempo na Arena de Itaquera foi um show de horrores, é verdade. Talvez sentindo o calor forte da manhã paulistana, os times abusaram dos erros técnicos e falharam 15 passes cada. Nestes 45 minutos iniciais, a única boa notícia foi a marcação vascaína. Bastante compacta, pressionando, em bloco, a saída de bola do Timão muitas vezes, a defesa do Vasco invalidou a posse de bola adversária e frustrou uma equipe que entrou em campo pressionada pela eliminação na Sul-americana, na última quarta-feira. 

BARREIRA TÉCNICA

Sistema defensivo bem ajustado, adversário em ritmo lento...era hora de contra-atacar. E o Corinthians, que já havia sofrido com o posicionamento de sua linha de zaga no Equador, na última quarta-feira, oferecia espaço para isso. Mas é aí que o Vasco esbarrava na capacidade técnica de seus jogadores de frente, com a exceção de Talles. Um lance com 20 minutos de jogo, em que Ribamar parte com a bola, mas se atrapalha sozinho e dispara um chute sem direção foi a síntese da produção ofensiva do Vasco no primeiro tempo. 

MARCAÇÃO DE RETORNO

A instabilidade do jogo do Vasco, neste domingo, chamou atenção. A equipe carioca sofreu gols (um deles, de Jadson, anulado por impedimento) sempre que estava melhor em campo. E isto não é coincidência. Com dois laterais com grande veia ofensiva, a marcação de retorno, ou seja, quando o Cruz-maltino perde a bola no ataque e não está com a defesa postada, é um problema no time de Luxemburgo. 

CARTÕES AMARELOS

O amarelo recebido por Bruno Gomes no primeiro minuto da segunda etapa foi o terceiro do Vasco na partida. Antes disso, Danilo e Raul já haviam sido amarelados. Todos importantes jogadores de defesa. Esse é outro fator contribuinte para a má marcação de retorno - quando, muitas vezes, 'gasta-se' um cartão amarelo para evitar o pior desfecho de um contra-ataque adversário.

FERNANDO MIGUEL

No fim das contas, futebol é medido pelos números no placar. E o da Arena Corinthians, neste domingo, em uma análise fria, só foi mexido graças ao mau momento de Fernando Miguel na meta do Vasco. O chute rasteiro de Ralf, de poucos metros atrás da risca da grande área, era alcançável para o goleiro, que, diga-se, estava bem posicionado no centro da baliza. 

Leia mais sobre: Vasco x Corinthians, Campeonato Brasileiro

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »