Confira os desafios que o novo técnico terá no Vasco

O novo técnico que comandar o Vasco da Gama ao longo desta temporada terá a missão de recolocar a equipe nos trilhos.

Após anunciar a saída de Jorginho, a diretoria do Vasco vai em busca de um novo técnico, o seu terceiro este ano. Alguns nomes começam a ser analisados internamente. Abel Braga, o nome de consenso, é considerado um sonho inviável neste momento. Assim, Roger Machado, ex-Palmeiras, surge como um real candidato, mas teria que ser convencido a pegar um trabalho pelo meio.

Outros aparecem como hipóteses, como Levir Culpi e Vinicius Eutrópio. Quem quer que seja o novo treinador terá a missão de recolocar a equipe nos trilhos e fazer um fim de ano tranquilo. Quem sabe com a briga por uma das vagas na Libertadores.

Primeiro rival, a proximidade zona de rebaixamento

O Vasco atualmente ocupa a 15ª posição do Campeonato Brasileiro com 19 pontos, apenas um a mais do que o Santos, que está em 17º lugar, na zona de rebaixamento. Há o porém de que a equipe cruz-maltina tem dois jogos a menos - contra o Santos, na Vila, e contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

Desta forma, o duelo com o Ceará, que está em 18º com 16 pontos, ganhou ainda mais dramaticidade. A partida será disputada na próxima segunda-feira, em São Januário.

Arrumar a "cozinha" e dar padrão tático

Para deixar o time mais competitivo, o novo comandante terá que combater a fragilidade defensiva demonstrada ao longo deste ano. Um exemplo de sucesso foi o que conseguiu Zé Ricardo ao assumir a equipe na última temporada. Ele primeiro arrumou a "cozinha" e depois tentou dar um padrão tático.

Encaixe para os reforços

No último jogo de Jorginho, contra o Palmeiras, três reforços estrearam: Leandro Castan, Maxi López e Vinícius Araújo. O novo comandante terá a missão de encontrar o melhor encaixe para eles dentro do elenco. A diretoria ainda tenta buscar mais peças para fortalecer o plantel.

Calendário - concentração total no Brasileiro

Como o Vasco já foi eliminado da Copa do Brasil, e Sul-Americana, até o fim do ano fará apenas mais 22 jogos, todos pelo Brasileiro. Com o calendário mais flexível, o novo técnico terá um tempo maior de preparação e recuperação dos atletas entre as partidas. Em 2017, com um cenário parecido, o time conseguiu a vaga na fase preliminar da Libertadores.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »