Confira a entrevista coletiva de Jorginho após o jogo contra o Fluminense

Jorginho analisa postura da equipe do Vasco da Gama no empate contra o Fluminense em São Januário pelo Brasileiro.

O empate foi dolorido, mas Jorginho preferiu o otimismo. Em coletiva após o 1 a 1 com o Fluminense em São Januário, o técnico do Vasco ressaltou a mudança de postura da equipe no intervalo. Chamado de "burro" por torcedores após o empate sofrido no fim, ele minimizou as críticas e afirmou que não quis recuar a equipe.

- Não recuamos, apesar de ter tirado o Ríos já no fim do jogo. O Ríos já tinha até um problema na mão. Procurei fortalecer o meio de campo. Mas foi um lance que a bola estava na nossa mão. O Marcos Júnior tentou a casquinha, a bola sobrou para o Pedro. E o Pedro é um centroavante muito forte, que sabe fazer gol. Lamentamos a gente perder. Entendo a tristeza e a revolta da torcida. Um jogo como esse era fundamental para vencermos e chegarmos a 18 pontos.

Jorginho preferiu não polemizar em relação aos gritos de "burro" de torcedores. Para ele, a manifestação é normal no futebol.

- Respeito muito o nosso torcedor. Essa é a vida do treinador, relacionamento de ódio e paixão de um jogo para o outro. É normal quando a torcida quer um jogador, mas não achamos que é o momento. Precisávamos de alguém para chutar de fora da área. Se tivéssemos um pouco mais de calma no lance do Ríos, em que pressionamos a saída de bola deles, sabíamos que gostavam de sair jogando, poderíamos ter marcado o segundo.

O empate deixou o Vasco com 16 pontos, na 11ª posição do Campeonato Brasileiro, com um jogo a menos em relação aos outros times. O próximo compromisso é contra o Grêmio, no domingo, em São Januário.

Jorginho contra o Fluminense

Confira outros tópicos da coletiva de Jorginho:

Mudança de postura no segundo tempo

- O que foi pedido no intervalo é que houvesse uma troca de passes mais rápida, porque estávamos muito lentos. Umas duas ou três vezes o Breno dominou a bola, seguia, seguia e ninguém se movimentava. Houve uma movimentação maior e acho que fizemos um segundo tempo muito bom, muito bom mesmo

Ausência de Thiago Galhardo

- Precisávamos de alguém para chutar de fora da área. Se tivéssemos um pouco mais de calma no lance do Ríos, em que pressionamos a saída de bola deles, sabíamos que gostavam de sair jogando, poderíamos ter marcado o segundo

Elogios a Andrés Ríos

- É um jogador que é muito importante pela equipe, às vezes criticado por ser um jogador com uma característica diferente. Foi muito bom vê-lo fazer esse gol.

Estreia de Maxi López

- Maxi precisa realmente de um tempo bom. Ele vem de férias, parado durante todo esse período. É um jogador que temos de ter todo o cuidado para que a gente não antecipe uma questão. É o mesmo que estamos pensando com o Henríquez

Bolas paradas

- Temos treinado muito, insistentemente, porque era um problema. A equipe está extremamente atenta, marcando em zona. Temos de atacar a bola, não adianta dar um passo para trás. Temos feito um treinamento com todos, quem joga e quem não joga.

Wagner e Giovanni podem jogar juntos?

- Giovanni Augusto e Wagner são dois meias atacantes. O Wagner com mais característica de cair pelo lado para trazer a bola pelo meio. Não é aquele jogador de acompanhar. Às vezes falo para o Pikachu deixar o lateral subir.

Pikachu é Seleção

- Me diz um jogador de lado que hoje joga melhor que o Pikachu. O Pikachu poderia, sim, ser convocado para a seleção brasileira. Não seria titular, mas com certeza seria banco.

Leia mais sobre: Vasco x Fluminense, Campeonato Brasileiro, Jorginho

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »