Confira as novidades sobre o empréstimo, novo patrocínio e eleição do Vasco

Confira abaixo as situações do empréstimo de R$ 31 milhões, patrocínio com a JJ Invest e eleição do Vasco da Gama.

O pedido de empréstimo de R$ 31 milhões do Vasco ficou mais longe de ser concretizado por falta de garantias para pagamento ao banco, o patrocínio com a JJ Invest para o esterno do uniforme travou e novidade sobre a ação que pede a anulação da última eleição do clube. Estas três movimentações rondaram os bastidores cruz-maltinos nesta quarta-feira, e o LANCE! detalha as situações de momento de cada um a partir de agora.

No caso do empréstimo, o Vasco tem um valor máximo de R$ 38 milhões autorizado pelo Conselho Deliberativo em segunda tentativa, após adiamento em primeira por explicações solicitadas por membros da oposição. O presidente Alexandre Campello esperava fechar o empréstimo e pagar os salários atrasados - atualmente são dois meses -, além de garantir o fechamento de 2018 no lado financeiro cruz-maltino de maneira tranquila, nos primeiros dias deste mês.

Entretanto, a liminar anulando a última eleição do Vasco, proferida no fim do mês passado, atrapalhou os planos, perdendo as garantias do Grupo Globo dos direitos de transmissão dos jogos do clube até 2023. No último dia 11, porém, a liminar foi suspensa provisoriamente em segunda instância, trocando a vara responsável em analisar o pedido do advogado Alan Belaciano, ligado ao conselheiro Julio Brant, líder do grupo "Sempre Vasco". Com isto, o Vasco correu para rever a garantia, mas não teve êxito. O clube busca outros meios de conseguir garantia e obter o dinheiro.

Já sobre esta ação que pede a anulação da eleição do Vasco, a desembargadora relatora Márcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), suspendeu na semana passada a liminar da juíza Glória Heloíza Lima da Silva, da 28ª Vara do TJRJ, de maneira provisória, que anulava a última eleição do clube. A magistrada de segunda instância entendeu conexão do caso com a ação da urna 7, vigente na 52ª Vara com o comando da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves.

E na tarde desta quarta-feira o trâmite de transferência de vara no TJRJ se concretizou, com os autos chegando na 52ª para análise da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, que deverá decidir se atenderá novamente a liminar, anulando a eleição, ou não, e em quais condições que a decisão será tomada. A tendência é que a magistrada se pronuncie com uma decisão sobre o pedido de liminar até sexta-feira.

Por fim, sobre o patrocínio com a JJ Invest, o Vasco acertou no início da semana com a empresa de investimentos no mercado financeiro para o "esterno" do uniforme, que fica centralizado entre o escudo do clube e a imagem da Diadora, forncedora do material esportivo, até o fim de 2019. Entretanto, conforme a coluna De Prima, do LANCE!, mostrou na última segunda-feira, a JJ Invest já foi punida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o que fez a gestão do presidente Alexandre Campello se movimentar..

Para se prevenir devido a um trauma do passado com o então patrocínio com a "Lasa Indústria Farmacêutica", fechado pela ex-gestão de Eurico Miranda e que foi rescindido pelo clube por falta de pagamento, a atual diretoria do Vasco pediu uma série de documentações da JJ Invest que comprovem a regularidade da atuação para que o contrato de patrocínio seja assinado. A JJ Invest patrocina outros clubes no futebol do Rio de Janeiro, como o Atlético-RJ, Goytacaz, Serra Macaense, América-RJ, Bonsucesso, Tigres, Campos, Macaé e Americano.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »