Castan nega problema com Cano e diz não ter sido cobrado após polêmica da camisa

O zagueiro do Vasco da Gama, Leandro Castan, voltou a minimizar o ocorrido no caso da camisa LGBTQIA+ e disse que é assunto superado.

Leandro Castan no jogo entre Vasco e Brusque
Leandro Castan no jogo entre Vasco e Brusque (Foto: Thiago Ribeiro)

Em entrevista ao canal “Cara a Tapa“, Castan falou sobre a polêmica que se envolveu no Vasco. Depois de postar uma frase bíblica no dia em que o Cruzmaltino realizou uma série de ações em prol do movimento LGBTQIA+, o zagueiro afirmou que foi “obrigado” a vestir a camisa feita em homenagem ao movimento. Apesar disso, o capitão do time negou qualquer tipo de problema com Cano, que levantou uma bandeira no duelo contra o Brusque.

“É mentira. Quando cheguei em casa, nem vi no jogo, a minha esposa que falou. Deixa ele levantar, problema é dele! Vou bater no cara porque ele levantou uma bandeira?! Eu respeito, mas eu tenho que me posicionar naquilo que acredito”, disse.

Além disso, Castan deixou claro que não foi criticado nos bastidores do Vasco. Mesmo sendo criticado por torcedores, o defensor afirmou que sempre irá se posicionar sobre o que acredita, tendo em vista que a fé é muito importante em sua vida.

“Todo mundo me apoiou e sabe o que eu fiz. Muitos me massacraram dizendo que sou homofóbico, mas quem está comigo sabe que eu não sou. As pessoas esquecem que temos família. O que ele falam que eu fiz, fizeram comigo. É um assunto superado para mim, tenho minha consciência tranquila porque sou cristão. A única coisa que me posicionei foi colocar o versículo da bíblia”, expressou.

Fonte: Torcedores.com

1 comentário
  • Sylvio Rodrigues - 24 de novembro de 2021

    Perfeito o posicionamento, apesar de ter seríssimas restrições em relação à sua conduta como jogador dentro do gramado, tenho q aplaudir veementemente a sua postura como cidadão. Afinal, vivemos ou não numa “democracia”, não há mais direto ao livre pensamento e à liberdade de expressão? Esse patrulhamento ideológico é inconcebível. Em relação ao clube, tem q se preocupar em ter uma estrutura decente e montar um time de respeito, nada disso foi ou está sendo feito, estão mais preocupados com agenda política e narrativas, enquanto isso, viramos chacota. Parabéns Castan, respeitem as tradições do clube e o livre pensamento. Fora, patrulha ideologica!!!

    Responder
Deixe sua opinião

Últimas notícias
30 de novembro de 2021
Time da Virada recolherá assinaturas para a realização da AGE no Vasco

O Movimento Time da Virada estará na frente de São Januário neste sábado coletando assinaturas para a realização da AGE.

Edu reitera desejo de jogar no Vasco

Artilheiro da Série B do Campeonato Brasileiro 2021, o atacante Edu, do Brusque, reiterou o desejo de defender o Vasco da Gama.

Vasco disputa prêmio de melhor campanha de responsabilidade social

Por conta da camisa lançada em apoio ao movimento LGBTQIA+, o Vasco da Gama concorre ao prêmio de melhor campanha de responsabilidade social.

Péssima campanha no 2º turno ajuda a explicar fracasso do Vasco na Série B

Depois de um primeiro turno fraco, o Vasco da Gama fez um segundo turno ainda pior na Série B, influenciando no não acesso.

Confira números do Vasco na Série B 2021

Confira números do Vasco da Gama na Série B do Campeonato Brasileiro 2021, os quais não permitiram o acesso.

Movimentações do Vasco no mercado: veja quem chega, quem sai e quem fica no Clube

O Vasco da Gama reformulará o departamento de futebol para a temporada 2022 e já busca por reforços para o elenco.

Reportagem destaca que o Sócio Gigante tem plano destinado aos animais; assista

A reportagem mostrou que o Vasco da Gama, no programa Sócio Gigante, tem uma categoria especial para os bichos de estimação.

Vasco é multado por objetos jogados em São Januário no jogo contra o CSA

Por conta de objetos jogados em São Januário no jogo contra o CSA, o Vasco da Gama terá que pagar multa de R$ 5 mil.

Conheça a história do Dom Corvo I e Único, mascote do Vasco nas décadas de 40 e 50

O Vasco da Gama teve o Dom Corvo I e Único como símbolo de sorte nas décadas de 40 e 50, mas que perdeu força a partir de 60.

Alexandre Mattos afirma que acerto com outro clube freou conversas com o Vasco

O diretor executivo Alexandre Mattos disse que teve uma boa conversa com o presidente do Vasco da Gama, Jorge Salgado, mas não avançou.

Veja mais notícias