Carlos Leão esclarece sobre últimos temas polêmicos no Vasco

Carlos Leão esclareceu sobre a comissão de reforma do estatuto, eleição direta e viagens de conselheiros para partidas.

Saída da comissão de reforma do estatuto do Vasco; Julio Brant solicitou que Carlos Leão fosse substituído por Luís Gustavo Ribeiro

Vou contar a minha história em relação a questão da matéria do Globoesporte.com. Esclarecerei os fatos que aconteceram comigo e minhas impressões/conclusões. Não gostaria de debater depois porque já está definido e vamos focar em coisas importantes para o Vasco da Gama.

Quando soube que seria instaurada a Comissão de Reforma do Estatuto (CRE), EU conversei com o meu grupo e solicitei diretamente ao Presidente do Conselho Deliberativo minha inclusão sendo atendido prontamente. O conselheiro Júlio Brant nunca se importou seriamente com isso.

Não me indicou coisa nenhuma. Nunca marcou uma reunião para debater a reforma, enquanto eu estive na SV e na CRE. Após 1 ano e meio, apareceu a palavra mágica "eleição", que é a única que o faz se movimentar no Vasco, aí resolveu dar importância a CRE, antes tarde do que nunca.

Julio Brant protocolou uma carta no último dia 06, solicitação minha exclusão e inclusão do conselheiro Luís Gustavo Ribeiro, que eu tenho respeito, mas foi uma decepção saber que é mais um que patrocina ações judiciais contra o Vasco, embora isso não seja ilegal... Voltemos para a carta.

Surpreso fiquei com a qualidade duvidosa do documento assinado por um postulante ao cargo de presidente do Club de Regatas Vasco da Gama. Texto confuso, apresentação sofrível e fundamentos fragilíssimos a luz das regras do Clube. Não seria razoável alguém acatar tal solicitação.

Me dei ao trabalho de contestar, oferecendo subsídios para que a solicitação não fosse aceita ou que fosse pelo menos contestada pelo presidente Roberto Monteiro. Curiosamente, em curto espaço de tempo, Ele analisou as cartas e deferiu o pedido no mesmo dia em que as recebeu.

Ocorre que dia 21 de agosto, Roberto Monteiro sugeriu a minha saída da CRE, após eu questionar alguns procedimentos precipitados, ao meu juízo. Disse ele "Ué...não está satisfeito!!! Como você gosta de dar informação privilegiada p imprensa, comunica sua saída, mas se quiser eu mesmo a faço”.

Tudo começou a fazer sentido, e a história se fecha claramente quando é criado informalmente para o Júlio a função de "Líder da Bancada SV" no Conselho. Júlio auto intitulou-se "Representante Maior e Reconhecido Dentro do Corpo do Conselho Deliberativo" (Oi?).

Julio Brant diz que eu não o represento. Claro que não! Os conselheiros, e ele é apenas e tão somente um deles, representam a si mesmo, mandatos independentes e próprios. Um conselheiro fiscal eleito não perde o mandato no CF porque saiu do grupo que iniciou o mandato.

O texto pelo qual o Presidente do Conselho Deliberativo me destituiu é importante para conclusões: "Atendendo a pedido de substituição do Sr. Julio Brant de membro da comissão, onde que na época da formação da Comissão de Reforma do Estatuto teria indicado Carlos Leão..." TERIA?

"... já que ele não se sente representado na Comissão pelo Sr. Carlos Leão, faço alteração neste grupo informal do nome que irá substitui-lo para que possamos avançar nos trabalhos da comissão." Um conselheiro não se sente representado por outro e pede exclusão? Como assim?

O conselheiro Júlio Brant poderia só pedir a inclusão do conselheiro Luís Gustavo Ribeiro, sem a exclusão de outro, e o presidente Roberto Monteiro poderia num ato discricionário me destituir, tem poder para isso. Resolveram dividir a decisão política do movimento. Faz sentido!

Em relação ao operacional da CRE, o que muda? Há 03 IV, 01 Casaca, 02 Beneméritos, 01 Vira Vasco. Foi substituído 01 da Cruzada por 01 da Sempre Vasco. IV + SV ganham todas as votações na CRE, pois o voto de desempate é do presidente. Apenas para reflexão.

Apoio às eleições diretas no Vasco?

Finalizando respondo a questão de alguns sobre Eleições Diretas. A Cruzada votará a favor das eleições diretas. Alguns falaram de algumas condicionantes que eu expus em algum lugar... Somos a favor de que ninguém seja alijado do processo por mudança nas regras durante esse triénio. O novos requisitos podem ser discutidos agora, mas só devem passar a valer em 2023. Estando na CRE, minha proposta seria essa. Agora é torcer para que o grupo que lá está faça um bom trabalho e sorte ao Luís Gustavo. Vamos em frente! FIM

Carlos Leão se manifesta sobre questão das viagens de conselheiros para partidas

Vou esclarecer a minha ÚNICA viagem pelo Vasco. Imagino porque essas informações apareceram só agora, mas minha viagem a Salvador foi para um jogo contra o Vitória em 10 set do ANO PASSADO. Já fez um ano! Quando eu fui não houve "voo da alegria", seja lá o que isso quer dizer.

Fui convocado pelo Vasco dois dias antes da viagem para chefiar a delegação já que o presidente não iria. Recebi o voucher da passagem e o hotel era o da delegação, obviamente. Isso organizado pelos profissionais, eu não lidei com esses valores.

Os conselheiros fiscais no Twitter podem revelar se assim desejarem. O Vasco perdeu o jogo por 1 a 0, voltamos no dia seguinte cedo e tivemos e resolvemos alguns problemas no desembarque. Mas ao final tudo ficou bem e eu satisfeito por ter representado e ajudado ao meu Clube. Sorry!

Em relação ao "funcionário" que se diz autor do texto, sou solidário a ele pelo lamentável episódio de atraso de salários que, infelizmente, tem sido recorrente há mais de uma década no Clube. Porém atualmente não é a viagem que eu fiz em 2018, a causadora do atual atraso.

Enfim não vou publicar as evidências/documentos que comprovam o que estou falando, mas as pessoas que tem algum contato pessoal comigo, podem me solicitar que eu mostro, tranquilamente. Aos detratores... a casca é grossa. Abração! FIM

Leia mais sobre: Política

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »