Alan Belaciano acusa Eurico Miranda de pressionar testemunhas

Alan Belaciano cita em ação que testemunhas mudaram versão após serem pressionadas por pessoas ligadas a Eurico Miranda.

O advogado Alan Belaciano entrou com recurso nesta quarta-feira para anular a eleição do Vasco realizada em 2017.

Ligado à "Sempre Vasco", grupo de oposição ao atual presidente Alexandre Campello, Belaciano reiterou que houve fraude no último pleito e afirmou que as duas testemunhas que haviam dito ter sido coagidas por ele para prestar depoimento voltaram atrás por terem se sentido expostas.

A última decisão no caso foi da desembargadora Marcia Alvarenga. Ela concedeu efeito suspensivo à decisão de primeira instância, que anulava a eleição de 2017 e marcava outra para dezembro. Em seu texto, Alvarenga relatou o caso das testemunhas.

Neste recurso, Belaciano anexou conversas de WhatsApp com os dois associados, Ricardo Silva de Souza e Rodrigo Pereira da Silva. Nelas, um deles diz estar preocupado com a repercussão e cogita retirar o boletim de ocorrência feito inicialmente.

- Cara, tô preocupado com isso. Não quero que dê merda pro meu pai. Pensando seriamente em retirar esse BO. Só fui porque tivemos a garantia de sigilo - diz Rodrigo.

De acordo com Belaciano, as duas testemunhas foram pressionadas por pessoas ligadas a Eurico Miranda.

- Como se demonstra nos áudios (...), os fraudadores, após serem pressionados por pessoas ligadas ao Sr. Eurico Miranda, que inclusive ameaçaram o emprego do familiar de uma delas, se viram obrigados mudar suas versões – não na polícia, que fique claro! Quem intimida testemunha não é o agravado e sim os fraudadores que integram a chapa azul - diz um trecho do recurso.

O recurso será analisado novamente pela desemebargadora Marcia Alvarenga. Ela pode reconsiderar sua decisão e deferir a ação ou levar o caso para que um colegiado de desembargadores avalie.

Leia mais sobre: Eleição

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »