Basquete: Bial destaca coragem do Vasco e mira vitória contra o Bauru

O técnico Alberto Bial destaca coragem da equipe vascaína, lamenta lesões e mira vitória no jogo contra o Bauru pelo NBB.

Depois de um resultado indesejado, em especial em casa, em pleno São Januário, a derrota para o Joinville/AABJ por 74 a 66, na última sexta-feira, pelo Novo Basquete Brasil (NBB), o Vasco do técnico Alberto Bial vai ao interior de São Paulo para duros confrontos: contra o Sendi Bauru, nesta terça-feira, às 19h, e contra o Sesi Franca, na quinta-feira, às 20h45m. Ambas as partidas serão na casa dos adversários.

A inspiração para buscar as vitórias vem do sucesso obtido, também fora de casa, contra o Brasília, na estreia da equipe. Mesmo reconhecendo que serão dois desafios, Bial confia na valentia de seu grupo, para de tudo isso extrair algo de precioso.

"O Vasco tem muita coragem, e estamos passando pelo início deu uma retomada de um grande projeto do clube no basquete. O nosso grupo está cada vez mais valente", atestou. "Bauru e Franca são muito fortes. Ambos têm investimentos parecidos e tecnicamente são times muito parelhos. São duas pedreiras. Por isso, uma vitória num desses dois jogos vale ouro. Vale uma pepita de ouro, e vamos lá garimpar isso, essa pepita de ouro."

Essa pepita será importante para Bial e seu elenco na tentativa de criar um baú de vitórias que lhes possibilite ir avançando no NBB. "O nosso objetivo é o de terminar entre os oito primeiros. Queremos chegar pelo menos às quartas de final e, quem sabe, terminar entre os cinco melhores para podermos levar o Vasco novamente a uma grande competição internacional", ressaltou Bial, comandante vascaíno no título sul-americano de 1998, na Bolívia, primeira conquista internacional do clube no basquete.

Sobre o elenco vascaíno para os dois próximos jogos, o técnico está preocupado com a posição de armador. Na derrota para o Joinville, não contou com Vithinho, devido a uma lesão muscular; nem Alexei Patrício, que sofreu uma torção de tornozelo na véspera do jogo.

"Eu tive de mudar o Duda da posição de ala para a de armador. Perdemos muito do nosso conjunto, porque isso prejudica o posicionamento em quadra e as trocas (substituições). Além disso, o Joinville fez uma partida irrepreensível", comentou Bial. "Para a sequência do NBB, precisamos ainda de um ala ou de um ala-pivô."

A respeito do Bauru, Bial não poupou elogios por se tratar de uma equipe formada para buscar troféus como o da Liga Sul-Americana, em que já avançou de fase.

"O Bauru foi montado com um investimento altíssimo e é um dos melhores times do Brasil. Ao enfrentá-lo, temos de atuar de forma inteligente, com uma defesa agressiva, sem deixar o adversário ter a oportunidade de arremessar livremente. Além disso, nosso ataque precisa ser muito bem trabalhado, sem afobações", recomendou ele que somente nesta terça-feira saberá se vai contar com Alexei Patrício. "No Bauru, gosto muito do armador Larry Taylor (americano naturalizado que já defendeu a seleção brasileira nas Olimpíadas de Londres-2012 e nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015), genial, inteligente, habilidoso. Lucas Mariano é de seleção, um craque. Eles também têm Jefferson Williams e Basílio. Mas vamos sem medo, com a coragem habitual e sabendo que temos de jogar o nosso melhor."

Em paralelo à preparação do elenco vascaíno, Bial vem-se firmando como palestrante e coach, como orientador de carreiras também fora do esporte. No dia 27 de novembro, dará palestra à seleção brasileira sub-15. Ele vem elaborando conteúdos de palestras para públicos não-esportivos, como empresários, gestores, oficiais militares e professores.

Leia mais sobre: Basquete

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »