Base do Vasco cresce mas precisa melhorar na geração de receitas

A categorias de base do Vasco da Gama cresce sob o comando de Carlos Brazil, mas precisa melhorar a geração de receitas.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  19 de janeiro de 2021 às 09:50-  Atualizada em 19 de janeiro de 2021 às 09:51
Vasco conquista o título da Copa do Brasil Sub-20 (Foto: ge)

Considerada um dos pilares para o retorno do Vasco aos dias de títulos que ficaram no passado, a categoria de base do clube continuarão sob o comando de Carlos Brazil. O gerente acertou com a nova diretoria, encabeçada por Jorge Salgado, a permanência à frente do departamento de formação de novos atletas.

A permanência do dirigente abre a perspectiva de que o cruz-maltino seguirá na trajetória de ascensão nas competições de jovens. Desde que Carlos Brazil foi contratado, em 2018, o desempenho do Vasco melhorou nas quatro principais competições que disputa no sub-20, última categoria antes dos profissionais.

O principal título veio na Copa do Brasil de 2020 — o time foi campeão sobre o Bahia, no começo do mês. Quando comparado ao desempenho alcançado entre 2015 e 2017, houve melhora tanto na Copa do Brasil, quanto no Campeonato Brasileiro, na Copa São Paulo de Futebol Júnior e no Estadual da categoria.

A permanência de Carlos Brazil no setor era esperada. Tanto o gerente quanto os dirigentes que vão assumir o Vasco até o fim do mês tinham interesse na sequência do trabalho. No Twitter, Jorge Salgado, presidente eleito do clube, afirmou:

“Ratifiquei que a base será uma prioridade de nossa gestão. Viabilizaremos condições para a execução de um trabalho de excelência.”

Carlos Brazil também utilizou a rede social para se manifestar a respeito:

“Fico muito feliz com a minha permanência no Vasco. Temos muito a realizar ainda. Fiquei extremamente impressionado com a capacidade e conhecimento de todos com quem pude me reunir. Tenho certeza que o Vasco seguirá muito forte! Agradeço em especial ao presidente Alexandre Campello e ao vice de futebol José Luiz Moreira por todo apoio que sempre tive deles nesses três anos de trabalho. Não tenho dúvidas que nessa gestão foram construídos alicerces fortes para a construção do novo Vasco”.

Carlos Brazil chegou ao Vasco em 2018 e assumiu as categorias de base do clube em substituição a Álvaro Miranda, encarregado durante a gestão de Eurico Miranda. Além do título da Copa do Brasil, o Vasco na gestão Brazil foi campeão estadual, outras duas vezes finalista da competição, e também finalista na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Resultado na geração de receitas ainda é tímido

Com a melhora nos resultados, falta agora o Vasco evoluir também nos valores movimentados na negociação dos jogadores formados na base. Depois da transferência de Paulinho para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, no começo de 2018, o clube não conseguiu efetuar a venda de mais nenhuma promessa envolvendo grandes somas de dinheiro.

O clube precisa desses recursos para conseguir amortizar dívidas de curto prazo e assim tanto pagar passivos de longo prazo quanto reforçar o elenco.

Quando comparado aos outros três clubes grandes do Rio, o potencial de geração de receitas subaproveitado fica evidente. Em 2018 e 2019 – o resultado consolidado de 2020 ainda não foi divulgado pelos clubes nos balanços financeiros -, o Vasco só arrecadou mais que o Botafogo com a revelação de talentos. As categorias de base de Flamengo e Fluminense foram substancialmente mais rentáveis no período.

*Os valores de receita com a venda de direitos de jogadores não diferenciam jogadores revelados pelo clube de atletas formados na base de terceiros

Fonte: O Globo Online