Bruno Gomes mantém pés no chão no Vasco e cita apoio de Luxemburgo

Bruno Gomes mantém pés no chão após se destacar no profissional do Vasco da Gama e destacou ajuda de Luxemburgo.

Aos 18 anos, a diversão de muito jovem é sair com os amigos, curtir a família e nada que fuja muito dos padrões sociais. Para Bruno Gomes, porém, a história é um pouco diferente. Quis o destino e o desejo do garoto que, ainda antes dos 20 anos, seu hobby fosse entrar em campo para ser jogador de futebol profissional. Assim mesmo, como uma "brincadeira", sem a pressão natural do mundo da bola.

Apesar da pouca idade, Bruno Gomes não se intimida com as rápidas mudanças que a profissão lhe proporcionou. De titular e finalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior no início de 2019, ainda pelo sub-20, o volante passou a ser observado de perto pelo técnico Vanderlei Luxemburgo e já disputou dois jogos e fez um gol pela equipe profissional do Vasco.

Com o crescimento em campo, chegaram, também, holofotes do lado de fora: entrevistas, torcedores nas redes sociais, responsabilidades. Tudo isso não mudou Bruno Gomes.

- Acho que é mais da minha personalidade. Procuro ser tranquilo dentro e fora de campo. Tento tirar as coisas grandes. Procuro sempre deixar as coisas baixas. Tento não pensar na torcida, pensar em mim, como se fosse um jogo normal. Sempre coloco isso na minha cabeça: tirar as coisas de fora. Eu sempre fui um moleque muito tranquilo. Tento não sentir a pressão - disse o volante.

Quem vê Bruno Gomes em campo pode não imaginar o que está por trás do garoto. Uma mãe "babona", um pai "técnico" e dois irmãos parceiros. Tudo isso sustenta o moleque de apenas 18 anos que busca o sonho de virar jogador.

- Eles são muito fundamentais. Eles me ajudavam, sempre me deram conselhos. Se eu jogasse mal, falavam. Se jogasse bem, falavam. Me davam muitas dicas. Sempre procurei bastante ouvir minha família. Acredito que se um dia eu for um grande jogador é por causa deles. Minha mãe sempre foi muito emotiva, de chorar nos jogos, de não conseguir ver os jogos. Na final da Copa São Paulo, ela me ligou chorando antes, aí depois soube que ela não conseguiu ver nenhum momento do jogo. E eu sempre fui o caçula e mais bagunceiro, sempre fui o que mais apanhou (risos) - contou.

Bruno Gomes com sua família

Destaque na base do Vasco, Bruno Gomes chegou ao profissional depois de se destacar em um treino. Além dele, outros diversos jogadores, como Gabriel Pec e Talles já foram observados por Luxemburgo e ficaram ou não com a equipe principal. O volante, por exemplo, já voltou para o sub-20 antes de estrear contra o Corinthians.

Foi justamente antes do primeiro jogo pelo time profissional, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro, que Luxemburgo conversou com Bruno Gomes.

- O Vanderlei me ajuda bastante, a comissão. Me deram tanta confiança que eu me senti muito tranquilo para jogar. Tentei não lembrar da torcida, se está cheio ou não. Antes do primeiro jogo, o Vanderlei disse que era para eu jogar como se estivesse na rua. Aí, eu pensei: "se o Vanderlei Luxemburgo está me falando isso, por que eu vou ficar nervoso?". Tirei todo o peso de mim - falou o garoto.
Depois de enfrentar o Corinthians, Bruno Gomes voltou a ser titular do Vasco contra o Botafogo, diante de 16 mil torcedores em São Januário. Em poucos minutos, arriscou de fora da área, viu a bola desviar na zaga e entrar no gol. Era a realização de um sonho do garoto.

- O gol foi algo que eu sempre sonhei. Tipo, se um dia fizesse um gol. Fizesse a alegria da torcida. A torcida está vibrando por causa do seu gol, cara. Ali foi um momento de muita alegria. Depois disso, tentei sempre me manter tranquilo. Os jogadores me ajudam muito - completou.

No profissional ou no sub-20, Bruno Gomes terá, em casa, uma torcida especial na busca pelo sonho de se tornar jogador do Vasco. Parte dele já foi realizada.

Leia mais sobre: Futebol, Bruno Gomes

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »