Eurico prometeu pagar mesmo após Anderson Martins dispensar dívida

Anderson Martins, que acionou o Vasco da Gama na Justiça, disse ter aberto mão de valores a que tinha direito no Clube.

O zagueiro Anderson Martins e o volante Desabato entraram na Justiça contra o Vasco. As duas ações somadas cobram R$ 1,6 milhão por dívidas que os jogadores alegam não ter recebido no momento da rescisão contratual.

A informação foi publicada inicialmente pelo Lance! e, posteriormente, confirmada pelo GloboEsporte.com.

Anderson Martins deixou o Vasco no começo de 2018, quando se transferiu ao São Paulo. Na época, em entrevista ao GloboEsporte.com, disse que tinha aberto mão de valores salariais que tinha direito a receber para sair de São Januário.

Posteriormente, em nota oficial, o zagueiro disse que Eurico Miranda, então presidente, "mesmo contra a sua vontade, cumpriu com a palavra a mim empenhada, assinando a minha liberação e assumindo o compromisso de me remunerar pelo período em que defendi o clube".

Ocorre que, na reclamatória distribuída para a 31ª Vara do Trabalho do Rio em 19 de dezembro de 2019, ele cobra R$ 620,5 mil de verbas rescisórias e multas. Na última movimentação do processo, datada de 10 de janeiro de 2020, a juíza Cristina Almeida de Oliveira solicitou que a defesa do atleta discrimine as verbas supostamente devidas.

Desabato foi vendido pelo Vasco ao fim de 2018 por US$ 800 mil ao Cerezo Osaka, do Japão. Em 9 de janeiro de 2020, o argentino entrou com ação cobrando R$ 971,5 mil. O valor é referente a multas, férias não pagas, FGTS não recolhido e salários atrasados.

Na última movimentação do processo, a juíza Elisabeth Manhães Nascimento Borges, da 37ª Vara do Trabalho do Rio, marcou audiência de conciliação entre as partes para o dia 18 de fevereiro.

O Vasco ainda não se manifestou nos processos. Quando o fizer, poderá apresentar a sua defesa.

Leia mais sobre: Eurico Miranda, Anderson Martins

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »