Filha diz que Barbosa não foi destratado na Seleção em 93: ‘Mentira!’

A filha adotiva de Barbosa, Tereza Borba, afirmou que o ídolo vascaíno sempre foi bem tratado nas visitas à Seleção Brasileira.

Avatar
Por França Fernandes
-  24 de junho de 2020 às 12:46-  Atualizada em 30 de agosto de 2020 às 17:02
Tereza Borba (Foto: Reprodução)

Voltou à tona no noticiário vascaíno uma história envolvendo o ídolo Barbosa, em 1993. O episódio em questão aconteceu quando a Seleção Brasileira estava na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro, na preparação para uma partida contra o Uruguai, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994.

Na época, se temia que o Brasil ficasse pela 1ª vez fora de Copa do Mundo, diante da fraca campanha que vinha fazendo. Enquanto estava à espera da partida, a Seleção Brasileira recebeu uma visita muito especial: Moacir Barbosa Nascimento, ou simplesmente Barbosa, grande ídolo da história do Vasco da Gama.

A visita de Barbosa à Granja Comary, no entanto, acabou rendendo uma grande polêmica que repercute até os dias atuais. Qual? O ídololo vascaíno teria sido impedido de gravar uma reportagem para a rede de televisão britânica, BBC, ao lado de Taffarel, goleiro da Seleção Brasileira na época, para evitar uma ‘má sorte’ para o arqueiro às vésperas da partida contra o Uruguai.

Será que foi isso mesmo? Para esclarecer essa história, o repórter Willams Meneses, do site Vasco Notícias, entrou em contato com Tereza Borba, filha adotiva de Barbosa. Ela contou que seu pai sempre foi muito bem tratado nas visitas à Seleção Brasileira, e afirmou que, na verdade, existiu uma recomendação por parte de Zagallo, que era amigo do ex-goleiro, para não posar ao lado de Taffarel para preservar a sua imagem diante de um eventual revés brasileiro, e disse que a notícias surgiu após a irritação de um repórter da rede de televisão inglesa por não conseguir o material que pretendia.

– O Barbosa recebeu um convite da BBC de Londres para fazer uma matéria em Teresópolis quando a Seleção estava concentrada, e ele foi para lá. Ele ficou uma semana em Teresópolis junto com o Parreira, com o Zagallo, tudo muito bonitinho, ele sendo bem tratado porque o Zagallo adorava o Barbosa. Até hoje o Zagallo diz que se tivesse que montar uma seleção o goleiro dele seria o Barbosa. O Barbosa ficou uma semana lá, muito bem querido por todos, muito bem tratado, mas chegou um jornalista e pediu para fazer uma foto com o Taffarel, o Barbosa se protinficou e disse que ia fazer, mas o Zagallo como gostava muito do Barbosa, o aconselhou a não fazer aquela foto. Ele falou para o Barbosa: “Vai que dá uma falta de sorte e o Brasil perca. Daí vão botar nas suas costas, que você foi pé frio e que deu falta de sorte para a Seleção. Se eu fosse você, não faria senão eles vão meter o pau em você”. O Barbosa chegou educadamente no jornalista, como sempre foi, e falou: “Olha, não vou fazer dessa vez a foto com o Taffarel, deixa para uma próxima”, e o jornalista ficou muito ‘pê’ da vida e escreveu que o Barbosa foi barrado em Teresópolis. É uma grande mentira! Barbosa nunca foi barrado em Teresópolis, nunca foi maltratado pelo Taffarel, pelo Zagallo, por ninguém! Ele passou 1 semana muito bem lá, mas é coisa de jornalista, né? Fazer o quê. Ele sempre falava isso, mas ninguém nunca escrevia. Como o Barbosa dizia, é coisa da imprensa marrom, infelizmente. Eles pegaram o Barbosa para cristo em 50, de dizer isso, e hoje cuido da memória do Barbosa para falar as verdades.

O Uruguai era o mesmo que acabou marcando negativamente de Barbosa, por causa da derrota por 2×1 na decisão da Copa do Mundo de 1950, em pleno Maracanã, que ficou conhecido como “Maracanazo”. Por muitos anos, o ídolo vascaíno carregou sozinho o peso pelo resultado, o que acabou tendo um grande impacto em sua vida. O ex-arqueiro, o maior da história do Gigante, merece todas as homenagens pelo seus feitos e até existe uma campanha para que o CT vascaíno receba o seu nome.

Leia Mais Sobre