Eurico Miranda culpa oposição e imprensa por crise no Vasco

O presidente Eurico Miranda culpou a oposição do Vasco da Gama e a imprensa pela má fase que o Clube vive.

Pressionado pelos salários atrasados, as derrotas nos tribunais que estão dando a vitória na eleição ao candidato de oposição Julio Brant e tendo que aceitar o pedido de rescisão do zagueiro Anderson Martins, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, convocou uma coletiva onde tentou dar explicações sobre a grave crise que atravessa. Durante a entrevista, onde pediu a anulação do pleito, chegou a "incorporar" Donald Trump e Che Guevera, fazendo um tour ideológico da extrema direita à extrema esquerda.

O primeiro citado foi o presidente norte-americano e serviu para tentar conduzir a coletiva: 

"Vou fazer igual ao Donald Trump: se a perguntar não estiver dentro, não respondo".

Já o guerrilheiro foi lembrado para reforçar que não irá desistir de permanecer na presidência mesmo com as seguidas derrotas na Justiça:

"Eu não sou muito chegado, mas o Che Guevara não dizia: 'Há que endurecer-se, mas sem jamais perder a ternura'? Então, meu problema é esse. Em relação ao Vasco eu perco a ternura. Com esses caras que são anti-Vasco".

Atolado em dívidas, com os salários de novembro, o 13º e as férias em atraso, Eurico elegeu os culpados para o seu momento complicado: a imprensa e os opositores.

Durante a coletiva, o presidente vascaíno falou que grupos contrários à gestão trabalham para minar o seu trabalho no clube. Nesta terça, a Justiça indeferiu o pedido de liminar para que se reconsiderasse a decisão de anular os votos da polêmica urna 7 na eleição do Vasco. Com a decisão, Eurico está mais próximo de ter de deixar o poder em São Januário.

"Presidente do conselho fiscal [Otto Carvalho] que estimulou matérias, foi muito bem recebido por alguns setores, e o interesse único ali foi prejudicar o Vasco. O que tivemos de problema é que não pudemos mais agir em relação aos nossos parceiros, porque viam uma situação difícil colocada por essas pessoas e por veículos de comunicação e que no final agravou muito mais a situação. A busca dos recursos", disse Eurico Miranda.

"Os parceiros eram procurados por esse pessoal que quer vir para o Vasco e dificultavam cada vez mais qualquer negócio que se podia fazer. O que eu, como presidente do Vasco, tinha obrigação de fazer e fiz, e tenho minha consciência tranquila, é que sempre quis fazer o melhor para o Vasco", completou o presidente do Cruzmaltino.

Além da oposição, Eurico também culpou a imprensa pelo caos vivido em São Januário. "Eu ajo como presidente do Vasco. Não ajo como candidato a coisíssima nenhuma, mas essa campanha eleitoral esteve estimulada não sei por quem, alguns já identifiquei. O Extra, o UOL... Que é uma apêndice da  Espn", atacou Eurico, fazendo confusão com os veículos que são independentes.

Em seguida, Eurico Miranda negou qualquer participação na compra de votos nas eleições e pede apuração completa no caso. Segundo o presidente, caso seja identificado algum erro no pleito, que ele seja cancelado.

"Eu não participei de absolutamente nada de compras de voto. Eu sempre quis, desde o início que fosse tudo devidamente apurado. Eu vou continuar discutindo porque quero que as coisas sejam apuradas da forma que tem que ser. O estatuto é muito claro. Se teve vício numa eleição, anula-se a eleição. Faça-se outra. O que não pode ter é vício em parte da eleição, em uma urna da eleição. E os sócios que votaram nas outras? Eles também estavam regulares ou irregulares? Se foi constatado vício, que se anule eleição em um todo, não de uma urna", disse.

Leia mais sobre: Eurico Miranda, Eleição

Comentários

Leia também

Copyright © 2010-2018 Vasco Notícias. Todos os direitos reservados. Política de PrivacidadeFale ConoscoSobre nós