Publicidade

Eurico Miranda acusa PM de atirar no vascaíno Davi Rocha

Eurico Miranda afirmou que foi a Polícia Militar que atirou no torcedor do Vasco que morreu durante confusão após o clássico.

O empate sem gols contra o Santos não foi a única insatisfação do Vasco neste domingo. Pelo menos, não para o presidente do clube, Eurico Miranda, que falou com jornalistas após a partida, válida pela 14ª rodada do Brasileirão.

A primeira reclamação foi com a abordagem da imprensa. Para Eurico, criou-se uma atmosfera de que o Vasco teria sido o responsável pelos episódios promovidas pela torcida em São Januário, após derrota no clássico contra o Flamengo, na semana passada. "O Vasco não tinha interesse nenhum no que aconteceu", se defende.

Em seguida, sobrou para a Polícia Militar, que para o presidente vascaíno, foi "abusiva, temerária, excessiva e negligente" nas ações contra os vândalos. "Demonstrou incompetência", criticou, lembrando da morte de um torcedor nos arredores do estádio. "A pessoa que morreu, morreu a quatro quadras do estádio. E foi a policia militar que atirou", afirmou.

Revoltado com a medida, o dirigente lembrou da morte de um torcedor do Botafogo no clássico contra o Flamengo, no Engenhão, em fevereiro. "Não pode dar segurança em São Januário, mas aqui pode? Onde mataram um com espeto?"

Leia mais sobre: Eurico Miranda

Comentários

Leia também

Copyright © 2010-2017 Vasco Notícias. Todos os direitos reservados. Política de PrivacidadeFale ConoscoSobre nós