Confira a entrevista coletiva de Eurico Miranda desta segunda-feira

Em entrevista, o presidente Eurico Miranda falou sobre protestos em São Januário, ídolos do clube e sobre reforços.

Eurico: "Vim falar para tentar colocar os pontos nos "is". Há uma campanha para tentar desestabilizar. Não a mim. Ao futebol. Com todas as dificuldades que encontramos, nós estamos desenvolvendo alguma coisa, um trabalho que tem dado os resultados que esperávamos. O que justifica termos no início de uma partida, no apagão, ver aquela manifestação de "fora Eurico".

Eurico: "Qualquer pessoa vê que é uma coisa dirigida. Querem desestabilizar o futebol. Não tem nada a ver com ano eleitoral. Não poderia e está tendo uma cobertura da mídia que é absurda. Qual é a vantagem que traz? O processo eleitoral não foi aberto, mas abrem espaço para determinadas coisas... qual o sentido?"

Eurico: "Em vez de falar de futebol, da sexta colocação... Dizem que retiraram uma placa do conselho fiscal. Primeiro, que não tem direito. Qual é o interesse em publicar isso? Sempre na véspera de jogos. Qual a verdadeira intenção?"

Eurico: "Não fazem a mesma coisa com os problemas do Flamengo lá (Ilha do Urubu). Mas fazem em relação ao Vasco. Para desestabilizar a mim? Não. Claramente ao futebol. Estou fazendo isso como um pedido, mas não tenho problema para confrontar isso."

Eurico: "É normal eu assistir ao jogo do meu gabinete, fumando meu charuto. A mim não afeta nada. Tenho feito tudo e vou fazer tudo para brindar o futebol. Não dá para assistir passivamente isso e achar que é sobre período eleitoral. Pagarem para pessoas fazerem esse tipo de manifestação."

Eurico: "Me obrigam a dizer coisas que não quero dizer. A maneira como encontrei o clube. Eles foram os culpados, foram eles que deixaram o clube em uma situação terrível em termos financeiros e patrimoniais. De repente agora acham que podem ou têm o direito de voltar. Tenho que me reportar a um processo antigo, que denunciei lá atrás."

Eurico: "O caso do Roberto Dinamite. Excelente jogador, mas deu no que deu, fez o que fez. Tem um pessoal que quer sempre falar da política do Vasco. Não me obriguem a confrontar, porque vou ser obrigado a confrontar".

Eurico: "Quem veio ao jogo viu que é uma coisa dirigida. Claro que tem consequências, como o problema na arquibancada. Tem aqueles que não gostam. Se tivesse uma justificativa para o protesto. Que protesto, meu Deus?"

Eurico: "Tenho que evitar que isso passe para o futebol, e é o que vou fazer. Você termina hoje o Vasco na sexta colocação no Brasileiro, na zona da Libertadores."

Eurico: "Com certeza não chega lá (no elenco). O que desestabilizaria? Treinador, jogadores, comissão, funcionários... todos sabem o que o presidente representa. Poderia se achassem que o presidente está balançando, sendo atingido. Mas sabem que não. Vasco continua com comando. Assim que blindo o futebol."

Eurico: "Não tenho que falar nada. Que continuem duvidando (Libertadores). Não é fácil, é um campeonato difícil, mas vou procurar estimulando que o objetivo é esse. Se eu não tivesse que pagar compromissos dos chamados "profissionais", os executivos que estavam aqui e não pagavam. Culminou com uma reclamação com o que foi o CEO, do Vasco, o Cristiano Koehler, que está fazendo reclamação."

Eurico sobre Bruno Paulista: "Com certeza. Só abrir a janela."

Eurico sobre Anderson Martins: "Precisa resolver primeiro lá no Catar. Depois vamos ver."

Eurico: "Aqui é privado. Não posso deixar um cara chegar no Facebook para denegrir o clube. Aí entram flamenguistas, anti-Vasco... vão continuar reclamando. Que escrevam em outros lugares."

Eurico sobre reforços: "Se tivermos oportunidade, vamos fechar. No momento não tem nada dirigido. Um é certo (Bruno Paulista). O outro ainda precisa resolver no Catar (Anderson Martins)."

Eurico: "Para este tipo de manifestação, melhor não vir. Isso é coisa de natureza política. O território hostil é porque a torcida se manifesta muito mais próximo, de apoio ao time. Isso é contra o adversário. Isso é histórico. Aqui se vem com a maior segurança, com a maior tranquilidade. As crianças podem vir. Damos o tratamento onde em nenhum lugar existe. Torço que as famílias voltem."

Eurico: "Temos que ganhar nossos jogos em casa. Se ganharmos, está resolvido o problema. Se perdemos, temos que ganhar fora. Estamos devendo três pontos. Depois que conseguir, equilibra. Se beliscar mais pontos fora é a maravilha das maravilhas. "

Eurico: "Aqui tem segurança total e absoluta nos jogos."

Leia mais sobre: Campeonato Carioca, Eurico Miranda

Comentários

Leia também

Copyright © 2010-2017 Vasco Notícias. Todos os direitos reservados. Política de PrivacidadeFale ConoscoSobre nós