Basquete: Vasco não pagou jogadores da temporada passada

O Vasco ainda está devendo os jogadores Hélio, Palacios, Marcellus, Murilo e Márcio Dornelles da temporada de 2016/17.

As dívidas do basquete vascaíno não se restringem ao atual elenco. Além dos três meses de salários devidos aos atuais jogadores - o Cruz-maltino alega que só não pagou dezembro e o 13º -, cinco atletas que serviram ao Vasco no Novo Basquete Brasil 2016/17 cobram do clube uma dívidia, que inclui direitos de imagens, FGTS e multa recisória. Os credores são os jogadores Hélio, Palacios, Marcellus, Murilo e Márcio Dornelles. Todos deixaram o Cruz-maltino ao fim da temporada passada. Segundo apurou o GloboEsporte.com, os atrasos nos salários durante o NBB 2016/17 chegaram a cinco meses. A diretoria vascaína não manifestou-se sobre o assunto.

Para se inscrever na atual edição do NBB, o Vasco precisaria pagar tudo o que devia na temporada anterior. Mas, o fato é que o clube, amparado por uma brecha no regulamento do NBB, pagou apenas alguns atletas, ignorando os jogadores que não são filiados à Associação dos Atletas Profissinais de Basquete (AAPB).

- Há dois anos foi criado o que a gente chama de Livro de Dívidas, o clube é obrigado a quitar as contas com todos os jogadores que são parte da Associação dos Atletas Profissinais de Basquete (AAPB) para começar na temporada seguinte. Se o clube não estiver com tudo em ordem, ele não pode se inscrever em outro campeonato - explicou o Superindente da Liga Nacional de Basquete, Sérgio Domenici.

Assim, os jogadores não filiados - que não impediam o Vasco de ser banido da competição - não receberam todos os seus direitos e, oito meses depois, ainda lutam na Justiça pela quitação da dívida. Mesmo com medo de represálias, o armador argentino Damian Palacios contou que além do FGTS e da multa rescisória, no caso dele, faltou receber até parte do salário, que o Vasco não declarava na carteira de trabalho. Outros atletas, como o armador Hélio e o ala Márcio Dornelles, confirmaram o não pagamento de todos os direitos, mas foram instruidos por seus advogados a não falar sobre o assunto.

- Como tentei entrar em contato com o Vasco várias vezes e não tive resposta, procurei um representante legal para tentar receber a minha parte - disse Palacios.

Segundo o superintende da Liga Nacional de Basquete, Sérgio Domenici, o fato de a cláusula não atingir todos os atletas é uma forma de desenvolver a AAPB, e não de prejudicar qualquer jogador, árbitro ou treinador - que também têm suas respectivas associações.

Atualmente o Vasco da Gama é o único clube que deve aos seus jogadores na temporada 2017/2018. Mas, ainda segundo Sérgio Domenici, a crise do clube não pode ser encarada como um grande problema, já que o Vasco pode mudar seu cenário financeiro a qualquer momento. Ele afirmou, inclusive, que em casos de grandes equipes, como ele considera o Cruz-Maltino, durante a inscrição não é necessário encaminhar uma série de garantias financeiras para conseguir suportar a competição.

- Equipes, clubes como o Vasco da Gama que têm uma liquidez financeira maior do que algumas associações, muitas vezes a própria assinatura do presidente dizendo que o clube vai honrar com todos os compromissos é suficiente para a Liga. Durante o campeonato a gente não pode fazer nada, até porque uma situação que se apresenta num momento ruim, ela pode se resolver de um dia para o outro. Por exemplo, agora tem o caso do Vasco que vai receber um dinheiro pela venda do Philippe Coutinho. Entrando esse dinheiro, a gente tem certeza que no dia seguinte os jogadores estarão todos em dia.

O Globoesporte.com tentou falar com o diretor de esportes de suadra e salão do Vasco da Gama, Fernando Lima, mas não obteve retorno. Nesta sexta-feira, o treino da equipe Cruz-Maltina que seria aberto à impresa acabou sendo fechado, segundo a assessoria do Vasco por "decisão interna". O superintendente da LNB disse que com o fim das pendências políticas no São Januário ele imagina que a crise financeira no Vasco deve se resolver.

- O Vasco está numa situação muito difícil. Mas, é um patrimônio do esporte brasileiro, é uma equipe como poucas que acredita em várias modalidades olímpicas. Nós temos é que torcer para que isso se defina logo. Eu creio que isso passa pela justiça definir efetivamente a continuidade ou não do atual presidente do Vasco.

A equipe do Vasco da Gama joga neste sábado, às 13h30min, na Arena Carioca 1, pelo NBB. O adversário será o Franca pela 10ª semana. O time do São Januário é ao atual 11º colocado, com 33,3 % de aproveitamento. Em 12 jogos, perdeu oito e venceu apenas quatro.

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »